Wilker Barreto defende fiscalização ordeira contra a ocupação irregular no Centro

Ver. Wilker Barreto
Ver. Wilker Barreto

O presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Wilker Barreto (PHS) defendeu, na manhã desta terça-feira (10), o Projeto Galerias Populares no Centro Histórico da cidade, implantado pelo prefeito Artur Virgílio Neto (PSDB) e disse ser favorável ao endurecimento do combate à prática de ocupação irregular, novamente, das calçadas do Centro.

Barreto condenou essa prática ao falar, da tribuna, a um grupo de ambulantes que ocupou a galeria da Casa Legislativa Municipal nesta manhã para cobrar agilidade na alocação nos camelódromos do Centro enquanto aguardam pelo funcionamento do Shopping Popular do Terminal T4. O segmento reclama que foi retirado das calçadas, que agora estão sendo ocupadas por camelôs de países vizinhos (estrangeiros).

“Sou a favor de endurecer o combate a essa prática, porque é difícil o comerciante formal competir com o que está vendendo na rua”, explicou. Segundo o presidente, o Projeto Galerias Populares é um sonho de R$ 120 milhões aplicados e encontrou dificuldades de implantação porque a economia brasileira está em “frangalhos”, disse o parlamentar.

Wilker Barreto esclareceu que o Shopping T4 ainda não abriu porque nenhuma empresa se dispôs em ser ‘âncora’ do shopping. “Com a economia ruim, ninguém tem coragem de abrir uma loja e olha que estamos falando de uma área que cresce”, garantiu ele, ao conclamar os ambulantes a não desacreditarem no projeto.

“O apoio de vocês ao projeto é importante”, assegurou o presidente, lembrando que a Casa Legislativa já trabalhou para a regularização dos mototaxistas, atendeu taxistas, os representantes do aplicativo Uber e colocou a Câmara à disposição para buscar soluções no caso dos camelôs. “Queremos um Centro bonito, com galerias como em São Paulo e outros centros comerciais”, completou.

Barreto deixou claro que a Câmara estará de portas abertas para resolver problemas, como os do Uber e camelôs. “Somos todos por uma Manaus justa, mas não podemos perder o foco, porque senão, quem sai perdendo para o comércio clandestino são vocês”, disse ele aos manifestantes. O vereador assegurou que jamais defenderá a volta da bagunça ao centro da cidade.

O presidente defendeu uma fiscalização ordeira no Centro. “Temos que ter a coragem de cuidar da nossa cidade. Precisamos salvar esse projeto”, destacou.

Uber

Sobre os aplicativos que aguardam por regulamentação, Wilker Barreto assegurou que o serviço é irreversível. “Como já falei para o Uber e taxistas, os aplicativos são irreversíveis. Vocês (taxistas) têm condições de competir, não precisa ter medo do Uber, mas aprender com cidades como São Paulo, que agora volta para regulamentar o serviço com mais de 50 mil inscritos. Os que moram em São Paulo estão prejudicados porque os do interior estão indo trabalhar na capital”, afirmou.

O presidente voltou a defender a regulamentação do Uber, com um mínimo quantitativo. “O mercado não se equilibra sem um ajuste. O certo é que o Uber, a Prefeitura, a Câmara e o Sindicato dos Taxistas têm que sentar à Mesa e sair com um formato que seja bom para Uber e Taxistas e, principalmente, para a cidade de Manaus. É pegar os erros e acertos das capitais onde já estão implantados com mais de três anos para não cometer os mesmos erros”, propôs.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here