Waldemir Santana é reeleito presidente da CUT-AM

Um dos meus compromissos é continuar honrando nosso passado e protegendo nosso futuro, afirmou Waldemir Santana
Um dos meus compromissos é continuar honrando nosso passado e protegendo nosso futuro, afirmou Waldemir Santana
Um dos meus compromissos é continuar honrando nosso passado e protegendo nosso futuro, afirmou Waldemir Santana

O sindicalista do SINDMETAL – Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas, Valdemir de Souza Santana, foi reeleito para o seu quarto mandato à frente da Central Única dos Trabalhadores no Amazonas (CUT-AM). Ele vai comandar uma direção de 44 lideranças de diversos segmentos da classe trabalhadora no Amazonas.

Santana foi reconduzido ao cargo de presidente durante o 12º Congresso da CUT-AM (CONCUT), realizado de 12 a 14 de agosto, no Centro de Convenções dos Metalúrgicos, Km 27 da AM 010, em Manaus.

No encontro, que contou com a presença do representante da CUT nacional, Professor Júlio Turra, os trabalhadores aprovaram também o Plano de Lutas e Ações a serem implementados pela nova diretoria, que inclui o Secretário Geral do Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Amazonas (SINDSEP-AM, Walter Matos (Secretaria de Comunicação); Geralda de Souza Oliveira na Secretaria Pela Igualdade Racial e, Itamar de Oliveira Ondion na Diretoria Estadual, entre outros.

O CONCUT-AM 2015 reuniu cerca de 250 participantes delegados e convidados, entre os delegados com direito a voto foram 168.

Todos assumem com o compromisso imediato de reforçar a pauta da Classe Trabalhadora que destaca o centro das mobilizações convocadas pela CUT Nacional.

Para Valdemir Santana a luta contra o fator previdenciário, Plano Levi, entre outros pontos, exige uma intervenção firme. “Um dos meus compromissos é continuar honrando nosso passado e protegendo nosso futuro”, disse Santana.

Já o sindicalista Walter Matos ressaltou a importância de construir uma chapa unitária com a presença de dirigentes de todos os municípios do Amazonas, dos vários segmentos produtivos e que contempla a questão de gênero. “A política econômica do Governo Federal joga a conta nas costas do povo brasileiro. Ao invés de atacar direitos trabalhistas, cortar investimentos sociais e aumentar os juros, defendemos que o governo ajuste as contas em cima dos mais ricos, com taxação das grandes fortunas, dividendos e remessas de lucro, além de uma auditoria da dívida pública”, acrescentou Matos.

No dia 20 de agosto a CUT-AM vai promover uma grande mobilização em defesa da classe trabalhadora, em adesão ao movimento encabeçado pela CUT Nacional.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here