Mundo

Viúva do presidente do Haiti volta ao país para funeral do marido

Martine Moïs, viúva do presidente do Haiti, desembarca de avião no aeroporto da capital, Porto Príncipe. IMAGEM: Twitter / Reprodução

Martine Moïse, viúva do presidente assassinado do Haiti, Jovenel Moïse, voltou ao país para acompanhar o funeral do seu marido. Ela estava em um hospital de Miami, nos Estados Unidos, para onde foi levada por causa dos ferimentos causados depois do atentado em sua casa, na 4ª feira (7.jul.2021).

A informação é da agência Reuters. Martine desembarcou no sábado (17.jul). Estava com um colete à prova de balas e com o braço direito em uma tipóia. Foi recebida pelo primeiro-ministro Claude Joseph no aeroporto da capital, Porto Príncipe.

O gabinete de Joseph publicou em seu perfil no Twitter um vídeo com a chegada da primeira-dama.

No domingo (11.jul), as autoridades do Haiti prenderam um homem acusado de ser um dos mandantes do assassinato do presidente. Charles Emmanuel Sanon, de 63 anos, é um haitiano que mora na Flórida. Antes, as autoridades já haviam prendido outras pessoas supostamente envolvidas no caso. Os homens teriam se identificados como agentes do DEA (Agência Antidrogas dos EUA) ao serem presos, informação que não foi confirmada.

O país vive uma acentuada crise política com a morte Moïse. A constituição haitiana prevê que é o chefe da Suprema Corte quem deve substituir o presidente em caso de morte, mas o então ocupante do cargo morreu recentemente de covid-19. Dois dias depois da morte do presidente, em 9 de julho, o Senado do Haiti anunciou o nome do senador Joseph Lambert para comandar interinamente o país.

Até então o primeiro-ministro Claude Joseph havia assumido o posto de forma temporária. Na ocasião, ele garantiu estar com as Forças Armadas “sob controle”. Sua posição, no entanto, não era oficial. (PODER 360)

Deixe um comentário