Tuberculose é tema de Simpósio na Assembleia Legislativa

Mais de 2.860 casos de Tuberculose foram diagnosticados no Amazonas, em 2016. Os dados confirmam o Estado, pelo quarto ano seguido, como o primeiro nas taxas de incidência da doença no Brasil. A informação foi dita pelo deputado estadual Luiz Castro (Rede), durante abertura do I Simpósio Estadual de Tuberculose do Estado do Amazonas.

O evento, que teve início ontem (16) e segue até esta terça-feira (17), acontece na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam). Na abertura, o parlamentar falou sobre a necessidade urgente de avançar no tratamento da Tuberculose e no trabalho conjunto com outras instituições.

“Cerca de 12% dos pacientes abandonam o tratamento, por motivos variados como a bebida, as drogas, a falta de suporte familiar. Além disso, muitas vezes, os doentes estão em vulnerabilidade . É preciso envolver mais a sociedade para mudarmos este quadro vergonhoso”, assinalou Luiz Castro.

Presidente da Frente Parlamentar Mista de Enfrentamento e Defesa dos Direitos da Pessoa com DST/HIV/Aids e Tuberculose (Frendhat), o deputado estadual também recordou dos casos não-registrados da doença, especialmente em municípios mais afastados.

Apenas um município amazonense, Uarini, não registrou casos da doença em 2016. Até o fim de maio de 2017, 1.108 casos novos foram confirmados no estado, 70 a menos em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados são do Ministério da Saúde e foram divulgados pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS).

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here