Tripulantes denunciam contaminação de coronavírus em massa em navio da Marinha

Na imagem menor, flagrante da Companhia de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica da MB desinfectando o navio G25.

Após a confirmação do afastamento de dois oficiais que prestam serviço no navio Almirante Saboia (G25), atracado na Ilha do Mocanguê, em Niterói, por testarem positivo para o novo coronavírus, tripulantes denunciaram ao jornal O DIA uma possível contaminação em massa dentro da embarcação. Segundo relatos, cerca de 60% dos colaboradores – 150 do total de 250 – estariam com suspeita da doença e trabalhando normalmente. Em nota divulgada nesta quinta-feira, a Marinha informou que apenas dois os militares foram afastados de seus cargos e estão em quarentena domiciliar.

Segundo informações da Marinha, os oficiais infectados são o Comandante e o Imediato do navio. Após a divulgação do contágio, a Marinha informou que “medidas de descontaminação no navio foram realizadas por meio da Companhia de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica da MB, à semelhança do procedimento adotado para os demais navios em operação”.

Ainda segundo as denúncias, apesar das medidas adotadas para a descontaminação, praças continuam trabalhando, mesmo com sintomas, sem nenhum dos equipamentos de proteção. “Mandaram os dois oficias para casa e os praças continuam sofrendo. Existe uma determinação de ter 20% dos tripulantes e, mesmo assim, tem comando forçando a permanência de todos lá. É uma situação quase que escrava. É uma pandemia que está passando do limite e estão ignorando, forçando um trabalho. É desumano”, disse um dos tripulantes.

Procurada, a Marinha informou que “todos os militares da tripulação estão sendo monitorados, de acordo com os protocolos previstos”. Confira a nota na íntegra:

“A Marinha do Brasil (MB), por intermédio do Comando em Chefe da Esquadra, informa que o Comandante e o Imediato de um dos navios subordinados testaram positivo para o COVID-19. Os Oficiais cumprem isolamento residencial, de acordo com os protocolos definidos pelos Ministérios da Saúde e da Defesa, tendo sua situação acompanhada regularmente pela Unidade Médica da Esquadra. Medidas de descontaminação no navio foram realizadas por meio da Companhia de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica da MB, à semelhança do procedimento adotado para os demais navios em operação. Todos os militares da tripulação estão sendo monitorados, de acordo com os protocolos previstos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here