TCE-AM lança novo sistema de julgamento eletrônico nesta segunda

img_4357

Seis anos após ter implantado a primeira versão do julgamento eletrônico, que agilizou a tramitação processual na Corte de Contas, a Diretoria de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (Ditin/TCE-AM) lança nesta segunda-feira (21), durante a 40ª sessão ordinária, o novo sistema de julgamento eletrônico do TCE-AM, pensado e desenvolvido inteiramente por técnicos da casa.

A nova e moderna base de julgamento, comemorada pelo conselheiro-presidente do TCE, Ari Moutinho Júnior, ao falar dos avanços do órgão durante a passagem dos 66 anos do TCE-AM em outubro deste ano, além de melhorar a padronização de peças processuais, possibilitará a geração de um extrato exato ao final de cada sessões ordinária, administrativa, da 1ª e 2ª Câmara do TCE, além de disponibilizar à sociedade, em um curto prazo, os processos julgados.

O novo sistema foi desenvolvido com apoio do secretário-geral do Pleno, Mirtyl Levy Júnior, que auxiliar a conselheiros nas sessões há mais de 34 anos. Segundo o chefe da Divisão de Sistemas de Informação, Saulo Coelho Lima, o antigo sistema abordava, principalmente, a etapa de julgamento em si, que ocorre com a realização das sessões. As ações pré e pós-sessão, até então, não haviam sido trabalhadas em sua potencialidade.

Segundo ele, o julgamento anterior deu agilidade em julgar, mas não em oficializar as decisões. “Devido ao grande volume de atividades manuais, os processos de trabalho adotados até então e outros fatores, demorávamos dias ou semanas para publicar o resultado de um julgamento no Diário Eletrônico. Junto a isso, tínhamos votos, decisórios e outros documentos sem padronização entre os autores. Isso tudo agora é passado”, afirmou Saulo.

No novo sistema, conforme explicação de Saulo Coelho Lima, a preocupação dos conselheiros, da Secretaria do Pleno e do Ditin foi otimizar e padronizar todos processos, ações, documentos e nomenclaturas a fim de criar uma uniformidade na instituição. “O projeto atual não esgota este assunto, mas dá uma valiosa contribuição neste sentido”, disse, ao relembrar que com o sistema anterior se demorava, em média, 16 dias para publicar as decisões do Tribunal Pleno e 30 dias para publicar as decisões das Câmaras, que deverá representar uma redução drástica de tempo”, avaliou.

Com o intuito de eliminar ou, ao menos, mitigar o retrabalho, o Ditin investiu no reaproveitamento inteligente dos dados gerados nas diversas etapas dos julgamento – desde a construção do relatório e voto, nos gabinetes dos relatores, até as etapas posteriores à realização da sessão. “Isso nos permitirá gerar automaticamente os documentos de decisório e, potencialmente, em 92% do total de processos julgados (que são julgados nos termos do voto do relator) o resultado poderá ser publicado logo após a sessão. Além de todos os pontos mencionados anteriormente, investimos em uma interface mais amigável e simplificada. Os pontos positivos da versão anterior foram mantidos no novo sistema”, acrescentou.

Para a implantação definitiva, o Ditin iniciou no mês de setembro os treinamentos dos gabinetes de conselheiros e auditores e logo em seguida disponibilizou o módulo de geração de relatório/voto. Posteriormente, foram treinados todos os setores envolvidos no novo módulo de julgamento, que brinda os 66 anos da Corte de Contas.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here