Suspeito de coronavírus se nega a fazer exames e DF vai à Justiça

Momento em que mulher com coronavírus chegava ao hospital público, onde se encontra em estado grave. ─ Imagem: Reprodução

O governo do Distrito Federal ingressou esta noite, no Plantão Judiciário do Distrito Federal com uma ação de “obrigação de fazer com pedido urgentíssimo de liminar” contra André Luis Souza Costa da Silva, de 45 anos, marido da primeira paciente com coronavírus em Brasília, por sua recusa de cumprir recomendações médicas de isolamento domiciliar e até de submeter-se a exames. Segundo informa a Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A ação foi determinada pelo governador do DF, Ibaneis Rocha, após receber relatos de apreensivos profissionais de saúde sobre o comportamento do marido da paciente C.M.P.S.C.S., de 52 anos, que se encontra internada em estado grave, respirando com ajuda de aparelhos.

O governo do DF afirma na ação que André, marido “se nega injustificadamente a atender determinação epidemiológica da Secretaria de Saúde do Distrito Federal no sentido de se submeter à coleta de amostras clínicas e exames laboratoriais para se verificar sua sorologia em relação à presença do vírus, embora se trate de exame simples cujo resultado sai em aproximadamente 48 horas.

A ação cita protocolo de tratamento da doença segundo o qual as informações disponíveis até o momento, sugerem que a via de transmissão pessoa a pessoa do novo coronavírus (2019-nCoV) seja por gotículas respiratórias ou contato. “Qualquer pessoa que tenha contato próximo (dentro de 1 metro) com alguém que tenha sintomas respiratórios (por exemplo, espirros, tosse etc.) está em risco de ser exposta a gotículas respiratórias potencialmente infecciosas”, explica o documento.

Ele não colabora

Documento anexado à ação judicial relata que o marido da paciente “foi orientado a permanecer em isolamento respiratório domiciliar e a coletar material biológico, após haver relatado às autoridades médicas “sintomas respiratórios sugestivos da doença”, após prolongado contato com sua mulher, agora internada em estado grave, respirando com ajuda de aparelhos. Apesar disso, ele se nega a colaborar com o tratamento.

Mais cedo, a Secretaria de Saúde editou portaria proibindo visitas a pacientes com coronavírus, com o objetivo de vetar o entra-e-sai de André do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), centro de referência no combate e controle de coronavírus em Brasília.

Desse modo, a Procuradoria do Contencioso em Matéria de Saúde Pública propôs a ação de obrigação de fazer com pedido liminar, para que André Luís Souza Costa da Silva “seja compelido a permitir a coleta de material clínico e a realização do exame laboratorial sobre a sorologia do coronavirus, e, que até confirmação do exame, fique em isolamento, sob pena de multa a ser determinada pelo prudente arbítrio do Juízo.”

A ação

assinada pelos procuradores Rafael Augusto Alves e Heloisa Monzillo de Almeida – foi interposta a fim de seguir “simples fluxograma de procedimento”, estabelecido no Plano de Contingência do Coronavirus elaborado pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal que está sendo frustrado injustificadamente pelo marido da paciente em estado grave.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here