“Somos uma vergonha como país”, diz Benedetto sobre final fora da Argentina

(Foto: Reprodução/El Clarin)

River Plate e Boca Juniors fazem a inédita final argentina da Libertadores neste domingo, a partir das 17h30 (de Brasília), no estádio Santiago Bernabéu, em Madri. E o clássico só foi para Espanha por falta de segurança em Buenos Aires – antes do segundo jogo, o ônibus do Boca foi atacado por torcedores do River, adiando o duelo.

O atacante Dario Benedetto, um dos principais jogadores do Boca, falou com a imprensa sobre a final acontecer fora da Argentina, fato que desagradou a todos.

“É muito lindo estar aqui na Espanha, mas deixo claro que gostaria de jogar no Monumental. Não só eu, o nosso elenco era a favor de disputar o título na casa do rival. Ter a necessidade de jogar em outro país por conta da nossa incapacidade é muito ruim”, comentou.

“Somos uma vergonha como país. É isso que nós somos. Quando saiu que poderíamos jogar em Madri, Doha e não sei onde, pensei que era loucura. Nos tiraram o direito de jogar na casa do River Plate. Nossa intenção sempre foi decidir a Libertadores no Monumental”, continuou Benedetto .

Por fim, o jogador xeneize voltou a dizer que nenhum jogador do River entrou em contato com seus companheiros no dia do incidente em Buenos Aires, como havia sido especulado na imprensa local. “Nenhum jogador deles mandou mensagem. Eu não recebi. Fiquei por horas trancado no vestiário e ninguém de lá veio falar nada”, finalizou.

No primeiro jogo da final argentina da Libertadores, na Bombonera, Boca Juniors e River Plate empataram por 2 a 2. Quem vencer neste domingo, fica com o título e, consequentemente, representa a América do Sul no Mundial de Clubes deste mês. Um novo empate por qualquer placar leva a decisão para as penalidades.

Fonte: IG Esportes

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here