Sinteam anuncia mobilização no Dia do Professor

Foto: Reprodução

Na próxima terça-feira (15), Dia do Professor, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam) está convocando para uma mobilização em frente a sede do Governo para protestar contra a mudança na data de pagamento do salário dos servidores públicos estaduais.

O Governo do Estado do Amazonas anunciou novas datas para o pagamento dos servidores públicos o que constituiria um atraso no compromisso assumido. Por outra parte, os deputados estaduais aprovaram na quinta-feira (10) o uso de R$ 300 Milhões do Fundo de Apoio às Micros e Pequenas Empresas e ao Desenvolvimento Social do Estado do Amazonas (Fmpes) para o pagamento do 13º salário dos servidores públicos nos meses de novembro e dezembro.

“A medida nos pegou de surpresa e prejudica os trabalhadores, que já tem uma programação definida para honrar o pagamento de suas contas. O governo precisa rever isso”, declarou a presidente do SINTEAM, Ana Cristina Rodrigues.

Situação dos trabalhadores da educação

A greve da educação de 2019 iniciou no dia 15 de abril com a marcha das sombrinhas. Os trabalhadores reivindicavam 15% de reajuste salarial, aumento do auxílio localidade, congelado em R$ 30 há 30 anos, as progressões horizontais e verticais, que não vinham sendo cumpridas, vale-alimentação para todos os servidores, vale-transporte sem desconto, plano de saúde para o interior e aposentados, segurança nas escolas e fim do assédio moral por parte dos gestores, entre outras pautas. A paralisação atingiu capital e interior e durou 40 dias.

Conquistas:

– Reajuste de 4,73%;
– Vale transporte estendido para servidores de 40h e 60h;
– Auxílio-localidade de R$ 80 para trabalhadores da sede e R$ 120 para os da zona rural;
– Vale alimentação de R$ 450 para todos os servidores da SEDUC;
– Progressões horizontais e verticais;
– Desistência, por parte do governo, da ação judicial contra sindicato e trabalhadores;
– Calendário único para reposição das aulas de duas formas: para as escolas que paralisaram as atividades parcialmente, será necessário cumprir o calendário de reposição junto com as que paralisaram totalmente. O calendário não valerá para as escolas que funcionaram 100%. Os calendários serão analisados e aprovados pelo Conselho Estadual de Educação.

Medidas ainda não efetivadas:

– Formação de uma comissão para estudar a viabilidade legal, financeira e orçamentária da proposta de recomposição das perdas financeiras e outros assuntos apresentados pelo SINTEAM. A comissão será formada por representantes do SINTEAM, SEFAZ, PGE, SEDUC, Comissão de Educação da ALE e representantes da base;
– Redução do tempo de concessão das progressões horizontais de 4 para 3 anos e aumento do percentual financeiro de 2% para 5% de cada migração;
– Automatização das progressões verticais (por titulação) num prazo de até 60 dias a contar da data em que o servidor deu entrada no processo;
– Estender o atendimento e a estrutura médico-hospitalar do plano de saúde HAPVIDA aos aposentados, em que a contrapartida financeira seja dada pela AMAZONPREV.
– Melhorar o atendimento por parte do plano de saúde no interior.

*Mercedes Guzmán e Assessoria Sinteam

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here