Sinésio convoca Audiência Pública para debater transporte fluvial

Citando a área portuária de Manaus como exemplo da forma desumana com que os passageiros embarcam e desembarcam nos meios de transporte fluvial, o deputado Sinésio Campos (PT) ocupou a tribuna nesta quinta-feira (22), no horário do Pequeno Expediente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), para falar das dificuldades que os empresários e usuários do setor enfrentam no dia a dia.

O deputado informou que, em média, de 1,5 milhão de passageiros utilizam o transporte fluvial no Estado por ano, e que por isso o setor precisa ser visto de forma diferenciada pelos governantes. Um dos graves problemas que afeta o setor, segundo Sinésio, é a falta de segurança nos rios, que somente no ano passado resultou em mais de R$ 100 milhões em prejuízos para os donos de embarcações e passageiros, por causa de assaltos dos piratas do rio.

Os piratas assaltam principalmente as embarcações que transportam combustíveis e mercadorias, assim como levam pertences dos passageiros como celulares, relógios e outros.  Sinésio lamentou que a Base Anzol, que funcionava no Alto Solimões tenha sido desmobilizada e que o Batalhão Fluvial da Polícia Militar (BFPM) não tenha efetivo suficiente para atender um estado que possui 1,5 milhão de quilômetros quadrados.

“E vou mais além, a situação dos portos dos municípios, que é uma tragédia. Foram prometidos muitos portos, mas qual é a real situação dos portos no Amazonas?”, indagou o deputado, que mencionou as precárias condições de atendimento na área portuária de Manaus. “Isso sem falar na precariedade dos serviços, do conforto para os passageiros e nos serviços de segurança”, comentou.

Diante dessa situação, o deputado Sinésio Campos formalizou requerimento de Audiência Pública, marcada para o dia 20 de março, onde serão debatidos todos os problemas referentes ao sistema de navegação fluvial e aos portos, principalmente a falta de segurança que afeta empresários e usuários do setor. “Entendo que é o momento de o Estado assumir o seu papel de dar segurança e promover a regulamentação do setor”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here