Educação

Semsa realiza visita técnica em escolas indígenas do rio Negro

FOTO: Eliton Santos / Semed

A Prefeitura de Manaus realizou uma visita técnica de assessoramento, administrativo, pedagógico e de infraestrutura nas escolas indígenas municipais Kanata T_ykua, Kunyata Putira e Puranga Pisasu, além da escola municipal São Sebastião, localizadas o rio Negro, zona rural e ribeirinha. As unidades de ensino gerenciadas pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) também receberam serviços de sanitização para evitar a proliferação da Covid-19

A equipe formada por técnicos da Gerência de Educação Escolar Indígena e da Divisão Distrital Zonal (DDZ) Rural da Semed, realizou visitas nas 84 unidades escolares das zonas rodoviária e ribeirinha, para acompanhar de perto as necessidades das unidades.

De acordo com a chefe da DDZ Rural, Rosa Denise Diniz Pereira, o trabalho em conjunto é fundamental para alcançar os resultados em uma zona geográfica que tem toda uma particularidade na rede municipal de ensino.

FOTO: Eliton Santos / Semed

“Esse procedimento é uma determinação do prefeito David Almeida e do secretário Pauderney Avelino, para que sejam postos em prática todos os protocolos de segurança com a questão da Covid-19. Tivemos em quatro escolas a sanitização, e nós aproveitamos para fazer todo esse trabalho em outras áreas. Por exemplo, a escola São Sebastião teve a situação da lancha resolvida, depois de dois anos. Isso tudo teve um grande avanço, devido a nova gestão da secretaria”, informou Rosa Denise.

Giovana de Oliveira, gerente de Educação Escolar Indígena da Semed, destacou a importância do trabalho realizado por todos em prol de uma educação de qualidade nas escolas da zona rural, que atendem alunos indígenas.

“É muito importante essa parceria da Gerência e a Divisão Rural, porque a gente consegue ver e solucionar os problemas. A infraestrutura, a logística e o administrativo estão muito ligados à parte pedagógica. Realizamos o acompanhamento desse trabalho de sanitização, até porque é uma prevenção para as escolas. Aproveitamos para conversar, principalmente sobre a parte pedagógica, porque ficamos responsáveis por ela”, completou.

Benefício

FOTO: Eliton Santos / Semed

A escola indígena municipal Kunyata Putira, localizada na comunidade São Thomé, no rio Negro, conta com total de 14 alunos, da educação infantil e do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, da etnia baré. Para a diretora Miriam Leite da Silva, o atendimento da Semed com a visita foi muito bem-vindo.

“É muito importante porque a gente está tão longe da cidade e tem algumas dificuldades. Para nós é muito bom, pois veio o pessoal da sanitização, além disso, a orientação pedagógica, que a gente precisa e também sobre a estrutura da escola e várias outras coisas. A gente não tinha antes essa socialização, não tinha essas visitas, e somos muito gratos à Divisão e a Gerência Indígena da Semed”, comentou.

A gestora Caritas Maria Souza de Oliveira, da escola municipal São Sebastião, na comunidade de São Sebastião, no rio Negro, zona ribeirinha, comemorou o apoio da secretaria, pois quem ganha com isso são os 94 alunos, de educação infantil e do 1º ao 9º ano do ensino fundamental, além de atender alunos do ensino médio, por meio de uma parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

“Sobre o perigo da Covid-19 é muito importante, porque as crianças não têm muito acesso a Manaus, e correm o risco de quem vem de lá para cá. Aqui nós trabalhamos com álcool em gel, medição de temperatura, onde a sanitização é mais uma prevenção e um apoio dentro da escola para evitar o contágio. O apoio da Semed para nós é fundamental, de suma importância, porque também estamos tendo muitos casos de malária”, concluiu.

Deixe um comentário