Saiba quais atividades voltam a funcionar em Manaus na segunda-feira (29)

Comércio não informal deverá funcionar com limite máximo de 50% de lotação no ambiente ─ Foto: Isis Capistrano

Começa nesta segunda-feira (29) o terceiro ciclo de reabertura do comércio não essencial em Manaus. Além da obrigatoriedade do uso de máscaras e equipamentos de proteção, estabelecimentos poderão funcionar até ás 22h na capital.

Com limite máximo de 50% de lotação no ambiente, ficam autorizados a reabrir a partir dessa segunda (29) serviços como: lojas de artesanato e souvenirs; Comércio varejista de doces, balas, bombons e semelhantes; Comércio varejista de artigos de caça, pesca e camping; Comércio de Objetos de arte; Comércio de fogos de artifício e artigos pirotécnicos; comércio varejista de armas e munições; Stands de vendas de imobiliárias; parques e espaços públicos e atrações turísticas; Feiras do Produtor organizadas pela Agencia de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS).

Cabeleireiros, barbearias e outras atividades de tratamento de estética e beleza; academias e similares, também estão inclusos nesta fase.

Ficam de fora, por enquanto, os cinemas, que só reabrem no dia 6 de julho, no quarto ciclo, além das escolas, que ainda não possuem data fixada para o retorno, apesar da Secretaria de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) ter sinalizado o retorno entre o fim de julho e o começo de agosto, a pasta ainda está em conversas com professores e especialistas em saúde para avaliar os cuidados deste retorno.

O comércio não essencial interrompeu o funcionamento de atendimento local para evitar a propagação do novo coronavírus no estado ainda no ínicio da pandemia. O decreto assinado pelo governador Wilson Lima (PSC) estabelecia que os comércios deveriam apenas funcionar com entrega delivery.

No primeiro ciclo de abertura iniciada no ínicio de junho, foram autorizados a reabrir igrejas e templos religiosos, além de padarias e clíncas de saúde. Todos com capacidade máxima em 30%. Nesta nova fase, estes locais passam a funcionar com capacidade máxima em 50%.

A decisão de reabertura foi motivada após a capital registrar uma redução do pico de mortes por conta do vírus. Em abril, Manaus chegou a ser capa dos principais jornais do mundo devido ao cenário de colapso do sistema funerário.

Ainda não há previsão para a reabertura integral das atividades comerciais no Amazonas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here