Rodoviários cruzam os braços e Centro de Manaus vira um caos

Filas de ônibus se formaram na Constantino Ney
Filas de ônibus se formaram na Constantino Ney
Filas de ônibus se formaram na Constantino Nery

Três mil trabalhadores do transporte público, entre motoristas e cobradores, paralisaram as atividades na manhã desta quinta-feira (17), por volta das 8h30, durante protesto por melhores condições de segurança no dia a dia dos serviços que são ofertados à sociedade. Na ocasião, os profissionais estacionaram os ônibus no Terminal de Integração (T1), na Constantino Nery, Centro de Manaus, e em frente à sede do Palácio do Governo, na avenida Brasil, bairro Compensa, Zona Oeste.

Josildo Oliveira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus (STTRM) informou que o ato estava previsto desde a noite do último domingo (13), quando Feitosa de Amorim Félix, 41, motorista da linha 093 da empresa Global Transportes, foi assassinado a facadas durante tentativa de assalto ao ônibus que estava trabalhando. O crime aconteceu no conjunto Castanheiras, bairro Zumbi dos Palmares, Zona Leste.

“Hoje são apenas três mil trabalhadores. No próximo, nós vamos paralisar totalmente o transporte público. Serão mais de nove mil profissionais na manifestação. Estamos reivindicando um direito que é garantido por lei a todos os cidadãos que é a segurança. Manaus está entregue aos bandidos. Todos os dias os trabalhadores estão ameaçados de não voltar para os seus respectivos lares”, frisou Oliveira.

Ainda segundo o presidente do STTRM, toda semana haverá um protesto até que o governo do estado realiza ações para conter a criminalidade “que assusta todos os dias os trabalhadores do transporte público”.

com EMTEMPO

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here