Reunião define venda de peixes durante a Semana Santa

O Sistema Sepror realizou, na manhã desta quarta-feira (21/2), a primeira reunião para definir a venda de peixes a ser oferecida à população no período da Semana Santa, entre os dias 27 e 30 de março. As espécies a serem comercializadas serão Tambaqui, Pirarucu e Matrinxã, com e sem espinha, com preços abaixo dos praticados pela iniciativa privada. Possivelmente, em um dos pontos de venda da capital, será disponibilizada a venda de quelônios.

Participaram da reunião representantes da Secretaria de Produção (Sepror), Agência de Defesa (Adaf), Instituto de Desenvolvimento (Idam) e Agência de Desenvolvimento (ADS). ”Além da variedade de peixes, preços interessantes e peixes novos, estamos tentando colocar um ponto a mais de venda do que no ano passado para facilitar a vida dos consumidores, que nessa época do ano priorizam o consumo de peixes”, explica Lucio Flávio do Rosário, presidente da ADS, órgão responsável pela comercialização dentro do Sistema Sepror.

No próximo dia 5 de março, uma nova reunião será realizada, dessa vez com os produtores/fornecedores do pescado e com os tratadores. De acordo com Igor Munhoz, gerente de Pesca da ADS e presidente da Associação dos Engenheiros de Pesca do Amazonas, há uma preocupação constante para que todos se adequem ao máximo às regras sanitárias para a comercialização de peixes, desde a captura, passando pelo transporte e por fim pelas vendas. “Temos que levar em conta que apesar de novos, os peixes precisam estar limpos. Atualmente muita gente faz a opção pelo peixe tratado e manuseado na hora. Portanto, precisamos nos antecipar”, explica Munhoz.

Os locais a serem implementados os pontos de venda dos peixes serão: Centro de Convivência da Cidade Nova, Feirão da Sepror, Avenida do Samba, estacionamento do Sistema Sepror e provavelmente o Centro Social Urbano do Parque Dez (em negociação com a prefeitura),  abrangendo todas as zonas da cidade, além das feiras que já existem e funcionam cotidianamente. Algumas prefeituras do interior devem também disponibilizar esses pontos de venda de peixes na Semana Santa, seguindo os mesmos padrões do Sistema Sepror.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here