Amazônia

Quadrinhos que retratam vida na Amazônia são destaques nacionais

Eunuquis Aguiar à esquerda e à direita Ademar Vieira — Foto: Arquivo pessoal

Com histórias que evidenciam a vida na Amazônia e os povos indígenas, quadrinistas amazonenses estão ganhando cada vez mais espaço no cenário nacional e despertando o interesse de fãs de HQs pelo país.

O manauara Ademar Vieira é um deles. A obra feita por ele e sua equipe, chamada “Ajuricaba”, é finalista do prêmio Jabuti, considerado o mais importante da literatura nacional.

“Ajuricaba” narra a história do líder do povo Manaó, que liderou mais de 30 nações indígenas em guerra contra a coroa portuguesa. Atualmente, Ademar considera o cenário regional promissor para quem deseja seguir na produção de quadrinhos.

“Vejo que no momento, as políticas públicas de fomento à cultura passaram a olhar para esse segmento, o que antes era uma coisa muito tímida, de repente floresceu e se criou um cenário vibrante. Nos últimos dois anos, a principal premiação de quadrinhos do Brasil, o prêmio HQMIX, já indicou três artistas de Manaus, coisa que não acontecia antes”, disse Ademar.

“Ajuricaba” conta com cerca de 130 páginas, impressas em preto e branco, roteirizadas por Ademar. A ilustração é de Jucylande Júnior, com artes de Tiê Santos e Ana Valente, as duas também são de Manaus.

Ademar destaca que a indicação ao prêmio também é uma forma de mostrar para mais pessoas um pouco da história regional.

“Nem pude acreditar. Essa indicação é algo que vai além de uma conquista pessoal, porque Ajuricaba é um ícone da cidade de Manaus e acredito que compartilho essa alegria com todos os manauaras. Eu vejo isso como o reconhecimento da importância dessa personalidade histórica que o público do Brasil ainda não conhece. Espero que com essa indicação, as pessoas fiquem curiosas sobre a nossa história e fiquem sensíveis à luta de Ajuricaba e dos povos indígenas do Brasil”, ressalta.

O quadrinista Eunuquis Aguiar e a esposa, Malika Dahil, também estão ganhando espaço através de obras que evidenciam a fauna e flora amazônica. Recentemente eles lançaram a HQ “Fronteira”, que baseada na vivência do casal, conta a história de uma marroquina que veio do Oriente Médio para conhecer a Amazônia e ficou encantada com a natureza local.

A revista foi indicada ao Prêmio HQMIX, considerado o “Oscar” do quadrinho brasileiro, que deve anunciar os vencedores no mês de dezembro.

Eunuquis conta que a HQ apresenta um contraponto entre a vegetação, costumes e diferenças na personalidade dos personagens das duas regiões.

“A gente sempre tenta evidenciar as belezas regionais em nossas produções, porque afinal, ela faz parte do nosso dia a dia. Mostramos os opostos de cada lugar e pessoa. É a primeira vez que somos indicados ao Oscar dos Quadrinhos, ficamos bem surpresos porque a gente não fez com essa intenção. A premiação será no final do ano e estamos na expectativa”, comenta.

Assim como Ademar, Aguiar também percebe as mudanças no dia a dia de quem produz quadrinhos em Manaus.

“Hoje a gente vê esse cenário de histórias em quadrinhos crescendo muito. Eu percebo um grande interesse de pessoas, de diferentes idades, pelos quadrinhos e literatura de forma geral. As vendas também aumentaram bastante. Viver de quadrinho sempre foi um sonho. Antigamente nossos pais falavam que a gente ia morrer de fome por esse sonho e hoje eu vejo que é o contrário, a gente vive muito bem”, disse.

*Com informações de G1

Deixe um comentário