PSOL aposta em candidatos ficha limpa

O candidatos são unânimes em afirmar que a questão financeira será o maior obstáculo

Da Redação – Neste domingo (03), na avenida Constantino Nery, nº 1913, bairro São Geraldo,  membros do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL-AM)  definiram os pré-candidatos a deputados estadual e federal para disputar nas próximas eleições. Foi analisado o cenário e contexto politico, o plano estratégico da campanha e as possíveis parcerias e coligações com outros partidos.

A reunião foi dirigida pela presidente do PSOL no Amazonas, Pedrinha Lasmar.  “O encontro foi para conhecer os pré-candidatos, saber do seu potencial. Temos 30% de mulheres que podem disputar a eleição, temos uma chapa completa  com 48 pré-candidatos em nível estadual e 16 a nível federal”, afirmou.

“O trabalho é da Unidade Socialista que está na luta para eleger deputados estaduais e federais. Temos trabalhado em 42 municípios no estado do Amazonas”, salientou. Pedrinha também informou que houve conversas com outros partidos de esquerda, como o PC do B, PT e o David Almeida para possíveis coligações.

O pré-candidato a deputado federal Nindberg Barbosa dos Santos salientou sua luta sindical nos últimos tempos. “Não temos representantes dos trabalhadores na Câmara Federal e minha proposta é trabalhar em politicas públicas eficientes e na reforma trabalhista, na luta por melhores condições para o trabalhador”, declarou.

Recursos e obtenção do voto serão as dificuldades

Para a maioria dos pré-candidatos a grande dificuldade será a financeira e o trabalho de conseguir o voto da população.

Alcenir Seixas dos Santos, que pleiteia uma vaga à Aleam, salientou sua experiência como candidato a vereador é chefe de cozinha da Marinha. “Verifiquei minha popularidade me relacionando com as pessoas através da alimentação. O recurso financeiro será uma dificuldade, mas esta campanha será diferente porque o povo está insatisfeito e procurando gente nova, ficha limpa. Vimos isso no judiciário. Minha proposta é a geração de empregos, muita gente jovem não vê possibilidades de emprego, o governo tem de fomentar o empreendedorismo incentivar aquelas pessoas que sabem cozinhar alguma coisa que é possível gerar renda”, destacou.

Seguindo no mesmo pleito, Juscelino Nascimento decidiu entrar na disputa ante a situação precária de saúde, educação e segurança em que se encontram as comunidades, esquecidas pelos governantes. Se eleito pretende fiscalizar e cobrar estes serviços

Por sua vez, o também pré-candidato a deputado estadual Chico Neves falou de sua luta nos movimentos sociais, tendo sido candidato a deputado federal em 2014 e a vereador em 2016. “É mais um desafio e acredito que o povo deve votar pela inovação e os fichas limpas. Minha proposta será a favor da agroindústria. O Brasil precisa de pessoas que trabalhem no setor agrário e a maior dificuldade será o pedido de voto devido ao descrédito dos políticos”.

O pré-candidato Eduardo Vieira decidiu também entrar na disputa.  ”Nunca o Brasil viveu um absurdo destes. O abandono total do governo e a perda de tantos direitos. Estão privatizando tudo e vivemos todo tipo de violência. Irei lutar pelos direitos básicos, saúde, educação e segurança”, disse.

Maria Auxiliadora Souza ressaltou sua trajetória de vida participativa nas comunidades e destacou a importância da presença da mulher na politica. “As pessoas estão incomodadas com atual situação, mas a mulher ainda tem medo de participar. Eu acredito na força das mulheres para mudar a situação atual”, finalizou. Texto: Mercedes Guzmán

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here