Proposta quer parceria entre Governo do Estado e operadoras de telefonia celular

Mais de 500 localidades amazonenses que não tem cobertura de telefonia móvel
Mais de 500 localidades amazonenses não têm cobertura de telefonia móvel

Quarenta e cinco comunidades em 22 municípios amazonenses podem ser beneficiadas com a Parceira Público Privada (PPP) entre o Governo do Estado e empresas de telefonia móvel. O objetivo da PPP é levar comunicação por telefone e de dados às localidades que não possuem serviço de telefonia celular.

A proposta da PPP é do deputado estadual Tony Medeiros e segue o modelo existente nos Estados de Minas Gerais e Mato Grosso. Nestes Estados, mais de 500 localidades que não tem cobertura de telefonia móvel começarão a receber o serviço no prazo de até 18 meses.

Embora todos os municípios do Amazonas tenham cobertura de telefonia celular, o serviço está limitado às sedes urbanas, explicou Tony Medeiros. “Nas comunidades do interior, o serviço ainda não chegou, por isso estamos propondo uma solução para o problema”, ressaltou o deputado.

A parceria entre Governo do Amazonas e operadoras de telefonia pode contar, inclusive, com apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que está apoiando a iniciativa em Minas Gerais.

Se a proposta de Tony Medeiros for aceita pelo Governo do Estado, o Executivo Estadual poderá criar um fundo estadual para investimento em telecomunicações. Os recursos serão usados para construção de torres de telefonia e aquisição de aparelhagens de telecomunicação, que serão instaladas nas comunidades do interior.

“O governo também fará um leilão entre as empresas de telefonia interessadas em levar os serviços às localidades mais distantes”, explicou Tony Medeiros. “Em Minas Gerais, venceram as empresas que anunciaram o menor uso do fundo oferecido pelo governo mineiro”, acrescentou.

O deputado disse que já conversou sobre a PPP com o governador Omar Aziz e o vice governador, José Melo. Ambos se mostraram interessados no projeto e aguardam mais informações para levar adiante a proposta, destacou Tony.

“A partir da assinatura do contrato da PPP, as empresas de telefonia terão prazo de até 18 meses para conclusão da implantação das redes no Amazonas”, informou Tony.

Entre as comunidades que devem ser beneficiadas com a PPP estão Vila Amazônia, Mocambo e Caburi, em Parintins, Pedras e Cametá do Ramos, em Barreirinha, Axinin e Canumã, em Borba, Novo Remanso, em Itacoatiara, e Itapeaçu, em Urucurituba, entre outras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here