Projeto propõe a construção de estrada para ligar Polo Naval a tres municípios

Ver. Everaldo Farias
Ver. Everaldo Farias

No final de semana passada, em reunião realizada entre o Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan), Airton Ângelo, o presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Everaldo Farias (PV), representantes das esferas municipal e federal dentre outros, foi apresentado um projeto para ser analisado propondo a construção de uma estrada que poderá ser a ligação entre o Polo Naval e três municípios amazonenses (Itacoatiara, Rio Preto da Eva e Silves) e assim resolver vários problemas de muitas outras comunidades da região, especialmente no escoamento da produção.

Segundo o vereador Everaldo Farias, o projeto foi bem recebido pelo secretário estadual de Planejamento (Seplan), Airton Claudino, quem prometeu sua analise. Na ocasião, foi discutida a situação das famílias atingidas pela obra que estão distribuídas em nove comunidades. A área escolhida para o Polo Naval abrange 30 quilômetros da margem do Lago do Puraquequara, na Zona Rural da cidade.

“A construção de esta estrada ajudará a tirar as famílias do isolamento que vivem hoje e também contribuirá significativamente para o escoamento da carga transportada pelas embarcações do Polo. Acredito que isso precisa ser uma preocupação dos gestores e sugiro que os municípios a serem interligados sejam Itacoatiara, Rio Preto da Eva e Silves”, declarou o vereador.

Na ocasião, Airton Claudino concordou coma a proposta e afirmou que será necessário um estudo técnico para analisar os impactos ambientais e socioeconômicos da nova estrada. “Será necessário o aumento dos investimentos, mas com toda certeza será um ponto que vamos analisar no projeto do Polo Naval e levaremos também para outros órgãos públicos envolvidos”, disse.

De acordo com dados da Seplan, a primeira etapa do Polo Naval abrigará dois grandes estaleiros, seis médios estaleiros, e mais 60 estaleiros de pequeno porte que serão construídos no período de até três anos. A segunda etapa do Polo Naval deve ser implantada no período de até 10 anos, em uma área de 63,47 quilômetros quadrados. A previsão é de geração de 30 mil empregos diretos. Neste distrito será construído um grande estaleiro, cinco estaleiros médios e 80 pequenos estaleiros para reparos, náuticas e demais empresas da cadeia produtiva naval.///Mercedes Guzman – Foto: Áida Fernandes

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here