Projeto Jaraqui avalia as propostas dos candidatos ao Governo do Amazonas

Segundo Ademir Ramos (esq.), o debate dos candidatos não apresentou com clareza as propostas que poderiam ser aceitas pelo eleitor
Segundo Ademir Ramos (esq.), o debate dos candidatos não apresentou com clareza as propostas que poderiam ser aceitas pelo eleitor
Segundo Ademir Ramos (esq.), o debate dos candidatos não apresentou com clareza as propostas que poderiam ser aceitas pelo eleitor

Da Redação – Neste sábado (30), na Praça 14 de janeiro, no centro de Manaus o Projeto Jaraqui debateu as propostas apresentadas pelos candidatos ao governo do Estado do Amazonas na ultima quinta feira, no debate no canal da Bandeirantes. O tema da educação foi um dos priorizados para a análise, reclamaram a urgência de mais avanços neste sentido para o desenvolvimento do estado e para a melhoria da qualidade de vida da população. Participaram Professores da UEA, Ufam, dentre outros.

O Prof. Oswaldo Gomes Coelho, aposentado há 22 anos e ex docente do curso de filosofia da Ufam, disse que a transformação da sociedade somente será possível se tivermos uma educação eficiente. “Enquanto os que governam e alguns candidatos continuarem pensando que é melhor quando as pessoas têm menos conhecimento, quando são mais burras e ignorantes, é melhor e mais fácil de enganá-las, a educação continuará do mesmo jeito”, frisou.

A transformação da sociedade somente será possível se tivermos uma educação eficiente, afirmou Oswaldo Coelho
Oswaldo Coelho é de opinião que a transformação da sociedade somente será possível se tivermos uma educação eficiente

Maioridade penal

A proposta de maioridade penal apresentada pelo PSDB e apoiada pelo PMDB para que sejam punidos os jovens a partir dos 16 anos e responsabilizar este segmento pela insegurança constituem um grave erro e só pode trazer sérias consequências para a sociedade, salientou o Prof. Oswaldo, que explicou ainda que em vez disso deve-se contar com pessoas jovens conscientes e responsáveis de seus atos.

Criticou a influência da TV, cujo conteúdo é supérfluo e não acrescenta nada para a formação do jovem, o aumento da criminalidade, a falta de alternativas para esta população somam-se a uma educação deficiente que contribui para este cenário. ”Se o jovem comete um crime deveria, o estado e a sociedade, criar condições para que esta pessoa receba uma assistência médica, psicológica e social e contar com  uma educação transformadora onde se tornem os homens conscientes de seus atos e seus deveres.

projeto-jaraqui-eleiçoes-blogdafloresta02Para o coordenador do Projeto Jaraqui, Professor Ademir Ramos, o debate dos candidatos não apresentou com clareza as propostas que poderiam ser aceitas pelo eleitor, pelo contrario, houve uma série de posturas e atitudes nada serias, como o fato de Eduardo Braga querer ser oposição, quando ele já foi governador e é também responsável pela situação em que se encontra o nosso estado, especialmente no setor da educação. Por sua parte, o Professor José Melo mostrou uma postura abaixo das expectativas, quando esperava-se mais firmeza para um candidato a governador. A proposta do candidato do PROS relativa a um aumento no orçamento da educação (25 a 30%) foi avaliada como positiva, mas explicaram que é preciso vincular esta a questões fundamentais não apenas de infraestrutura, mas também à valorização do professor, projetos pedagógicos das escolas, oficinas, e outros.

Nesta análise os participantes coincidiram de que o único que soube aproveitar o espaço do debate no canal de TV foi o candidato Marcelo Ramos.

Em pauta a Educação

O Projeto Jaraqui pretende colocar em pauta o tema da educação como projeto político pedagógico, para isto a Universidade Estadual do Amazonas (UEA) deve contar com autonomia financeira, no debate foi defendida esta ideia. “A UEA deve ser como um cérebro pensante das políticas públicas para o governo”, salientou o Prof. Ademir. (Texto e Fotos: Mercedes Guzmán)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here