Projeto do vereador Bibiano contraria Lei da Mordaça e incentiva discussão sobre Direitos Humanos nas escolas

Ver. Prof. Bibiano
Ver. Prof. Bibiano
Ver. Prof. Bibiano

Enquanto tramita na Assembleia Legislativa do Estado (ALE) Projeto de Lei (PL) que tem por finalidade restringir a discussão de temas  em escolas locais, a Câmara Municipal de Manaus (CMM) segue na outra esteira e leva adiante a tramitação de PL com o objetivo de ampliar o debate e incentivar a pesquisa sobre Direitos Humanos nas unidades da rede municipal de ensino.

De autoria do vereador professor Bibiano (PT), o Projeto de Lei (nº 183/2015) determina que os estabelecimentos de ensino mantenham em seu acervo exemplares de livros, livretos, vídeos e documentos voltados a pesquisas sobre o assunto. O projeto foi apreciado durante a sessão desta segunda-feira (06), na Câmara, e foi encaminhado para a apreciação da 13ª Comissão de Direitos Humanos.

O acervo deverá dispor de exemplares da Constituição Federal; da Declaração Universal dos Direitos Humanos; do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA); do Estatuto do Idoso; do Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos; da Convenção Americana sobre Direitos Humanos; da Convenção Interamericana contra o Racismo, a Discriminação Racial e Formas Correlatas de Intolerância.

De acordo com o autor do projeto, a finalidade é estimular o estudo e a reflexão acerca do assunto como mecanismo para o fortalecimento de valores positivos junto à comunidade escolar, de maneira a contribuir para a formação de uma sociedade mais justa, fraterna e que respeite os princípios de igualdade e da não discriminação.

O tema está previsto no Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos (PNEDH), aprovado há 10 anos, no qual ficou estabelecido que a educação em direitos humanos é compreendida como um processo sistemático e multidimensional que orienta a formação de sujeitos de direitos.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here