Presidente da AAM alerta para as condições desiguais dos municípios da região

"Alguns municípios não se encontram nas mesmas condições que outros", destaca João Campelo
“Alguns municípios não se encontram nas mesmas condições que outros”, destaca João Campelo

Da Redação – Oitenta por cento dos gestores se encontram participando do Encontro Amazonense de Novos Gestores, organizado pela Associação Amazonense de Municípios (AAM) e que acaba nesta quarta-feira (15) no Centro Vasco Vasques, na Avenida Pedro Teixeira, bairro Dom Pedro, zona centro oeste de Manaus. A proposta da municipalização da saúde lançada pelo Governador  José Melo tem apoio da maioria dos gestores que espera mais informações e reuniões para acompanhar o planejamento.

Para o presidente da AAM, João Campelo, o evento permite ampliar os conhecimentos dos gestores, como aplicar dinheiro público, e assim poder trabalhar em benefício do povo. No entanto, reconheceu que alguns municípios não se encontram nas mesmas condições que outros, tendo serias dificuldades especialmente no acesso às tecnologias (internet, por exemplo) e a informação, ficando numa situação também de isolamento.

Isolamento e comunicação

Campelo explicou também que são mais de cinquenta comunidades das quais 45 não possuem nem telefone, ficando muito isoladas e sem comunicação, onde São Paulo de Olivença e Itamaraty são exemplos de municípios que não estão em iguais condições que outros pela geografia, o custo elevado de vida e os poucos recursos que recebem.

“As desigualdades são muitas. Por conta da logística, do encarecimento dos materiais, produtos e outros não há desenvolvimento para essas comunidades que ficam distantes, e que continuarão enfrentando estas dificuldades se não houver uma política voltada para estes municípios”, salientou.

O presidente da AAM informou que está esperando aprovação de projetos para ampliar os serviços de assistência, justamente a estes municípios, para que assim possam através de projetos acederem cada vez mais e melhor a recursos em benefício das populações mais carentes.

Na oportunidade o vice-prefeito de Lábrea, Moacir Canizo (PROS), disse ser de suma importância este evento e que em seu município estará priorizando a infraestrutura viária, asfaltamento da cidade, meio fio, sarjeta e drenagem. Referente à municipalização da saúde, destacou a importância de atender a todos e informou que está se trabalhando na atenção básica de saúde e que pretendem melhorar também o hospital da sede.

Boi fora de época

O prefeito de Parintins, Bi Garcia (PSDB), disse que os municípios dependem dos repasses. “Temos que pensar em austeridade, pois nos primeiros meses haverá estes recursos, mas depois irá diminuir. Haverá queda na arrecadação. Os prefeitos devem estar ligados em buscar recursos do orçamento da união, assim unindo os recursos a nível municipal, estadual, federal pode se fazer um grande trabalho”, afirmou.

“A educação e saúde serão prioridades no nosso governo, mas também vamos apostar na economia, precisamos gerar emprego para a população. Vamos apostar no setor primário, a única alternativa no interior e em Parintins a diferença de outros municípios tem o turismo, estaremos recebendo 20 navios de turistas e faremos o boi fora de época, levando cursos profissionalizantes nesta área, também estaremos em maio participando da feira em Miami”, salientou Bi Garcia.

O Prefeito de Anori, Jamilson Carvalho (PMDB) disse que naquele município tudo é prioridade e que o evento está sendo proveitoso. “É importante adquirir o conhecimento através dos representantes dos ministérios para nos explicar, em nosso município a infraestrutura será prioridade, falta tudo na cidade”, frisou. Referente à municipalização da saúde disse não ver muita viabilidade, nem vantagem, pois Governo e Prefeitura, concluiu. (Mercedes Guzmán)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here