Prefeitura inicia 1º Diagnóstico da Infestação do mosquito

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), iniciou nesta quarta-feira, 17/1, o 1º Diagnóstico da Infestação do Aedes Aegypti de 2018, em Manaus. Desde as 8h, equipes de agentes de saúde realizaram visitas domiciliares para analisar a existência de criadouros do mosquito. O ponto de partida foi a sede do Distrito de Saúde Oeste (Disa Oeste), localizado na rua Comandante Paulo Lasmar, no Bairro da Paz. As pesquisas foram feitas de forma simultânea em quatro bairros: Glória, Vila da Prata, São Raimundo e Santo Antônio, todos na zona Oeste da cidade, até o dia 31/1.

A ação, que segue as diretrizes do Ministério da Saúde, tem como objetivo avaliar essas áreas, realizando um levantamento dos indícios da infestação do mosquito, principal responsável pela transmissão da dengue, zika vírus e chikungunya.

O Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae), da Semsa, identificou que, no período de janeiro a dezembro de 2017, houve redução de 66% dos casos de doenças transmitidas pelo mosquito na capital em comparação ao mesmo período do ano anterior.

O secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, destaca a meta do diagnóstico para este ano é que sejam visitados aproximadamente 28 mil imóveis em todos os bairros de Manaus. “Estarão envolvidos diretamente 300 profissionais da Semsa, entre agentes de controle de endemias, agentes comunitários de saúde, motoristas, supervisores, coordenadores e demais, todos voltados para o combate ao Aedes”, informou Magaldi.

Além de identificar o quantitativo dos criadouros do mosquito, o projeto busca conscientizar e informar a população acerca da prevenção, uma vez que quase todos os criadouros detectados estão em ambientes domésticos.

“Nosso objetivo é visitar aproximadamente 7 mil casas nos 15 bairros da zona Oeste da capital e, para isso, distribuímos equipes todos os dias, incluindo os sábados, em quatro bairros diferentes, das 8h às 14h, realizando a inspeção e conscientizando a população a cerca dos cuidados necessários”, explicou o coordenador de diagnóstico do Disa Oeste, Rubens dos Santos.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here