Prefeitura assume obra e exige que Manaus Ambiental assuma custos da recuperação da rua Pará

Diante da gravidade do problema, causado pelo rompimento de uma rede de distribuição da Manaus Ambiental, a Prefeitura de Manaus assumiu a recuperação emergencial da rua Pará, no trecho entre a avenida Djalma Batista e a rua Javari, zona Centro-Sul da capital. O prefeito Arthur Virgílio Neto esteve no local ainda na noite deste domingo, 17/12, para fiscalizar o andamento dos trabalhos e disse que as equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) trabalharão dia e noite para corrigir o dano no menor espaço de tempo possível. Arthur determinou ainda que a concessionária cubra todas as despesas do serviço.

 
“Puxamos para nós essa responsabilidade, porque a Manaus Ambiental não teria a capacidade técnica para resolver sozinha. Além disso, queremos que o trânsito volte ao normal o quanto antes. Não temos como afirmar prazo, mas as nossas equipes de infraestrutura serão incansáveis para terminar tudo o mais rápido possível, preservando a segurança dos nossos trabalhadores e da população”, garantiu o prefeito, que estava acompanhado de seu vice e secretário da Seminf, Marcos Rotta, e da primeira-dama, Elisabeth Valeiko Ribeiro.
 
Arthur também mandou um recado muito direto à empresa concessionária do serviço de abastecimento de água e esgotamento sanitário da capital. “Primeiro, executaremos esta obra emergencial com a dedicação que Manaus merece, mas não sairá um centavo dos cofres municipais. A Manaus Ambiental irá assumir todos os gastos”, determinou. “Segundo, amanhã (segunda-feira, 18/12), vamos ter uma reunião com a diretoria da empresa e delimitar pontos bem claros daquilo que nós esperamos e daquilo que será feito com a nova Agência Reguladora dos Serviços Públicos Municipais”, completou.
 
Desde as primeiras horas deste domingo, a Seminf esteve monitorando a cratera que se abriu na rua Pará, nas proximidades do Posto 700. Tão logo se detectou a dimensão dos danos causados na infraestrutura da malha viária, homens e máquinas da prefeitura entraram em ação. Segundo o corpo de engenheiros do Município, o vazamento de água da rede de distribuição da Manaus Ambiental fez com que o barro fosse cedendo e causasse o afundamento da via, que também exerceu pressão e prejudicou a rede de drenagem que passa no local.
 
“Mesmo não sendo uma responsabilidade da Prefeitura, a Seminf assumiu essa operação e nossas equipes permanecerão no local até a resolução desse problema. Nosso trabalho está sendo realizado de forma minuciosa e com muita cautela, em virtude das redes de fibra óptica e de gás que passam pela área. Mas, seguindo a determinação do prefeito Arthur Neto, estamos atuando com celeridade para evitar maiores transtornos à população”, reforçou o vice-prefeito Marcos Rotta.
 
Trânsito e transporte alterados
 
Enquanto durarem os serviços, agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) estarão na rua Pará e na Djalma Batista para orientar os condutores que precisam acessar o bairro Nossa Senhora das Graças, zona Centro-Sul, pela via.
 
Quem segue pela rua Pará e precisa continuar nessa via, deverá dobrar à direita, na avenida Djalma Batista, fazer o retorno na alça de esquina da avenida Álvaro Maia e acessar a Djalma no sentido Centro/Bairro. Antes da rua Pará, o condutor deverá dobrar à direita, na rua Cuiabá, acessar a rua Rio Javari e retomar a rua Pará.
 
As linhas de ônibus 118 e 122, que cumprem itinerário pela rua Pará, sofreram alterações temporárias que estão sendo acompanhadas pelos fiscais da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here