Operação Mercúrio II manda 19 traficantes para a cadeia em Parintins

Foram 12 mandatos de prisão e 14 mandatos de busca e apreensão
Foram 12 mandatos de prisão e 14 mandatos de busca e apreensão
Foram 12 mandatos de prisão e 14 mandatos de busca e apreensão

DA REDAÇÃO – Envolvendo 62 policiais civis e militares a Operação Mercúrio II prendeu 17 homens, mulheres e apreendeu 2 menores acusados de tráfico de drogas, receptação e furtos, de um total de 12 mandados de prisão e 14 mandados de busca e apreensão. Mais de três mil reais em dinheiro, balanças de precisão, dezenas de papelotes de maconha, pasta base de cocaína e outras sacolas com produtos químicos ainda não periciados, mais dois automóveis e duas motocicletas foram recolhidos pelas 14 equipes que estiveram nos bairros de Paulo Corrêa, Itaguatinga, Palmares, União e Centro. Vários eletrodomésticos como aparelhos de televisão, ventiladores, celulares, joias, aparelhos de DVDs, caixas de sonorização, possivelmente trocados por usuários nas bocas de fumo foram apreendidos. O delegado Antonio Chicri Neto do Departamento das Polícias do Interior comandou a operação envolvendo 62 policiais civis e militares, auxiliado pela delegada Ana Denise Machado da 3ª Delegacia Regional de Policia Civil de Parintins. O Tenente Pontes Jacaúna coordenou os policiais militares do Batalhão Ilha Tupinambarana. Investigadores, escrivães e peritos do comando das Forças de Repressão de Resgate e Assalto FERA, Delegacia de Repressão ao Crime Organizado DRCO e Delegacia Fluvial de Manaus deram suporte nas abordagem. As equipes da policiais ficaram de campana desde 3h da manhã e às seis horas cumpriram os mandatos. Cinco mulheres foram presas.

O delegado Antonio Chicri Neto, do Departamento das Polícias do Interior, esteve no comando da operação que conseguiu prender o traficante Luiz Figueira
O delegado Antonio Chicri Neto, do Departamento das Polícias do Interior, esteve no comando da operação que conseguiu prender o traficante Luiz Figueira

Segundo Antonio Chicri o monitoramento das bocas de fumo começou a ser realizado no mês de setembro do ano passado. Todos os presos nesta manhã, já cumpriram penas ou respondem a processos na justiça pela prática de tráfico de drogas. “Tem um dos elementos que foi preso agora mês de março. Passou trinta dias, conseguiu liberdade e já estava comercializando”, confirmou o delegado Antonio Neto. As investigações de inteligência, segundo a delegada Ana Denise Machado apontam que Luiz Mario Martins Figueira é hoje o maior traficante da cidade. “Ele tem um esquema grande, possuem arma de fogo e fazem recrutamento de menores para servirem de aviões”, diz. Sobre algumas tentativas de homicídios e assassinato com armas de fogo ocorrido desde final do ano passado em Parintins, a delegada Ana Denise não confirmou haver qualquer ligação com o trafico, mas adiantou que o aumento nos números de furtos, roubos e assalto são consequência desses traficantes. A perícia vai analisar os motores dos carros apreendidos, pois tem a suspeitas da troca desses motores. A primeira prisão nesta manhã foi do taxista Marfran Pontes da Silva.

No bairro de Palmares foram apreendidos vários aparelhos eletrônicos, além de grande quantidade de drogas
No bairro de Palmares foram apreendidos vários aparelhos eletrônicos, além de grande quantidade de drogas

Na área conhecida como “Macacada” no Bairro de Palmares, onde vários objetos foram apreendidos, um policial teve de se jogar na água, pois os traficantes atiraram os papelotes de droga no rio Amazonas. Segundo o delegado Antonio Chicri, o professor Alessandro Márcio Lima Ribeiro foi detido anda na noite e encaminhado ao presídio. Márcio ano passado já havia sido denunciado por alunos pela pratica de venda de drogas dentro de uma das escolas na qual ensinava. Até o final da tarde desta quarta-feira os acusados serão ouvidos e enviados as celas da delegacia e do presídio municipal. Mercúrio I A operação Mercúrio I foi deflagrada em Parintins há três anos. Mais de 20 veículos furtados nas cidades de Manaus e na região metropolitana e enviados ao interior.  Carros que valia até 50 mil reais, era comercializados no interior pelo valor de dez mil reais. Na época mais de dez pessoas foram apreendidas e levadas até Manaus. /// Texto e Fotos: Hudson Lima (Especial para o BLOGdaFLORESTA)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here