Operação da PF mira esquema internacional de lavagem de dinheiro bilionário

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira uma operação para combater a lavagem de dinheiro internacional e evasão de divisas em cinco países. Batizada de Perfídia, a ação conta com cerca de 200 policiais federais, que cumprem 103 mandados judiciais, sendo 55 de busca e apreensão, 46 de condução coercitiva e dois de prisão temporária.

Segundo a TV GLOBO, duas pessoas foram presas em Brasília: Claudia Chater, prima de Habib Chater, dono de posto de gasolina e um dos primeiros presos presos na Lava-Jato; e Edvaldo Pinto, uma espécie de funcionário de Cláudia.

O esquema teria movimentado mais de US$ 5 bilhões por meio de uma offshore. A organização criminosa realizava operações de câmbio não-autorizadas e forjavam compras de imóveis por meio de laranjas e falsificações de documentos. Cartórios no interior do país seriam usados pelos infratores.

Segundo a Polícia Federal, a quadrilha era formada por proprietários de postos de gasolina, agências de turismo, lotéricas, que ficavam responsáveis pela aquisição fraudulenta de imóveis e bens para lavagem de dinheiro. A organização criminosa contava com o apoio de advogados, contadores, serventuários de cartórios, empregados de concessionárias de serviços públicos e até de um servidor da Polícia Federal.

Os alvos estão sendo capturados no Distrito Federal, Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, Pará, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Tocantins.

De acordo com a polícia, as investigações começaram a partir de uma prisão em flagrante ocorrida na imigração do Aeroporto Internacional de Brasília em agosto do ano passado.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here