Olimpíada da Terceira Idade encerra com festa

Na sexta-feira, 27/9, no Parque Municipal do Idoso, localizado na Avenida Rio Mar, Nossa Senhora das Graças, zona Centro-Sul, o concurso de dança marcou o encerramento da Olimpíada da Terceira Idade, competição realizada pela Prefeitura de Manaus. Participaram secretários municipais e pessoas da terceira idade. A iniciativa foi da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel), com o objetivo de promover a socialização, o esporte e a qualidade de vida da terceira idade.

O evento contou com três mil gerontoatletas, divididos em 28 grupos, que participaram de várias modalidades de competições durante seis dias. Dentre eles, 17 equipes são mantidas pela Prefeitura de Manaus e duas delas são de cidades vizinhas Cacau-Pirêra e Iranduba.

O secretario da Semjel, João Carlos Melo, ressaltou as parcerias e o trabalho conjunto com as outras secretarias da Prefeitura de Manaus. “Temos que destacar a participação dos três mil idosos nesta Olimpíada, eles disputaram em varias modalidades adequadas a terceira idade e demostraram estar com saúde e boa qualidade de vida. O prefeito Artur Virgílio Neto sempre dedicou um gesto de carinho e de respeito a esses idosos que estão sempre se exercitando, ao longo do ano, e esperam ansiosos por esses jogos.”

Atual campeão e favorito a conquistar o título novamente, o Centro de Esporte e Lazer (CEL) Rouxinol, localizado no bairro Cidade Nova, zona Norte, buscou o bicampeonato da Olimpíada da Terceira Idade.

Com uma delegação de cem gerontoatletas, o CEL Rouxinol teve como ponto forte as disputas pelo atletismo. Este ano, dos 531 inscritos para as oito provas da modalidade, 40 são do grupo da zona Norte. A equipe se preparou o ano todo com treinos específicos e até grupo de corrida, como conta a coordenadora do CEL, Tânia Leão. “O nosso principal diferencial para os outros grupos é que nos preparamos o ano todo. Nós os estimulamos e eles nos dão esse retorno positivo. Durante a semana fazemos treinos específicos que variam de natação a treinos para atletismo e também temos um grupo de corrida. Eu sou apaixonada pelo atletismo e isso ajuda para desenvolvermos um bom trabalho com eles nessa modalidade”, destacou a coordenadora, que gerencia um grupo de pessoas na faixa etária de 50 a 80 anos.

Campeão em 2018 com a vantagem de 104 pontos para o segundo colocado, nesta edição o CEL Rouxinol garantiu vaga em praticamente todos os pódios de premiação. Campeã pela caminhada 800 metros, Ana Gadelha, 66, também contribui para que o Rouxinol conquistasse o bicampeonato da olimpíada. “Eu estou muito feliz. Mais uma para a minha coleção. Nossos professores preparam a gente o ano todo com corrida e caminhada”, afirmou a atleta com mais de 20 medalhas da competição.

Disputa

Mas se depender do CEL Coroado, o Rouxinol não terá vida fácil. Campeão do lançamento de dardo, Antônio Eugênio, 71, conhecido como Lucarelli, não deu o título de mão beijada. “Para mim é uma emoção única porque chegar a essa idade com uma posição dessa é uma bravura e um dever cumprido. E a disputa entre os grupos dos centros é sempre muito limpa e justa”, disse ele, que acumula 60 medalhas na olimpíada.

Integração

Nem mesmo a deficiência visual é capaz de impedir de competir e chegar em primeiro lugar como Antônio Honório, 52, campeão da corrida de 800 metros e com mais de 14 anos de experiência em competições de atletismo.

“É muito boa essa competição, é a primeira vez que eu participo. Mesmo com a deficiência eu consigo desenvolver meu potencial, gostei muito. Fico feliz com o meu resultado. Eu já tenho essa rotina de competição e foi muito boa”, declarou.

*Mercedes Guzmán e Assessoria Semjel

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here