O carro chefe é o artesanato indígena, mas índio mesmo é o que menos tem trabalhando

praca2

Na Praça Tenreiro Aranha sobra artesanato e falta índio

Feira na Praça Tenreiro Aranha: Cadê os índios, se foram? A feira de artesanato na Praça Tenreiro Aranha localizada no Centro de Manaus já tem 14 anos de existência e abriga muitos artesãos, amazonenses,colombianos, venezuelanos, peruanos e quase nenhum índio. Foi através da Associação dos Artesãos do Estado do Amazonas (ASSOCIART) que a feira se tornou realidade.

praca4

Marileide Araújo, presidente da ASSOCIART, que responde pela pela feira conta que o espaço foi concedido pela prefeitura de Manaus. O local destinado a comércio completou 14 anos no ultimo dia 18 de junho. Dona Ivone Duque Coelho, 60, trabalha na feira há 13 anos e relata que a feira sempre teve artesão, mas poucos indígenas.

praca1

Euclides Soriano, 38, está no local há mais de 10 anos e quando perguntamos sobre os índios ele diz: “Só tem índio pro outro lado da feira”, demonstrando que a maior parcela de artesãos realmente não são índios, pois quando nossa
reportagem se dirigiu para o outro lado só encontramos uma índia. Obertina dos Santos Ramos, 62, é neta legítima de índio e é uma das poucas que pode se encontrar na praça e sua barraca não é própria, ela conta que os índios são minoria no local há mais colombianos, venezuelanos e peruanos. Ela relata que se tiver umas quatro barracas com indígenas wursão é muito. A presidente da Associação desabafa que os reparos, como pinturas e outras coisas são obrigações do órgão responsável, ou seja, a prefeitura, mas diz que a realidade é outra. “Nós é que pagamos as reformas e até o vigia pra olhar nossas barracas”, diz Marileide.

praca3

O BLOGdaFLORESTA, pôde constatar que realmente população indígena não está muito representada na feira da Praça Tenreiro Aranha, mesmo sendo o artesanato indígena o carro chefe das vendas no local. Os índios são os que confeccionam com toda a propriedade esses artesanatos, pois, sabem a origem e o significado de mínimos elementos usados nos seus produtos.

praca5

A praça Tenreiro Aranha é a maior prova de como os índios vão sendo expropriados e excluídos socialmente na cidade de Manaus. Cidade que empresta nome dos guerreiros manaús ou manaós e tantas outras etnias como barés e tarumãs, deveria ter um mínimo de respeito e dignidade com eles que eram os verdadeiros donos dessa nossa taba Manaus.//Sara Matos/Fotos: Ethyenne França.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here