Nathaniel Woods, o preso executado injustamente por homicídio nos EUA

Nathaniel Woods recebeu a injeção letal na noite da última quinta-feira (5).

Quando Kerry Spencer decidiu defender a inocência de Nathaniel Woods, condenado à pena de morte pelo assassinato de três policiais no Estado americano do Alabama, ele foi direto ao ponto.

Ele é “100% inocente”, escreveu Spencer em uma carta enviada recentemente à imprensa. “Eu sei que isso é verdade porque sou a pessoa que atirou e matou os três agentes”, acrescentou.

Apesar disso, Woods foi executado com uma injeção letal na noite de quinta-feira (05/03), cumprindo a sentença que lhe foi imposta em 2005.

O homem de 44 anos havia sido condenado como o “autor intelectual” do assassinato de três policiais, que teriam sido alvo de uma emboscada quando chegaram à casa de Woods para prendê-lo por acusações relacionadas ao tráfico de drogas.

Woods, que sempre defendeu sua inocência, recebeu a mesma pena de Spencer, depois de ser considerado culpado por 10 dos 12 jurados que participaram do julgamento do processo.

Execução sob protestos

A execução dele gerou grande polêmica, porque em torno do caso houve uma grande mobilização de pessoas que o consideravam inocente.

Cerca de 120 mil pessoas, incluindo Kim Kardashian, pediram ao governador do Alabama, Kay Ivey, que suspendesse a execução.

“Você está disposto a permitir que um homem que pode ser inocente seja executado?”, perguntou Martin Luther King III, filho do histórico líder do movimento pelos direitos civis nos EUA, em uma carta endereçada a Ivey e publicada no Twitter.

Em uma carta publicada após a execução, o governador diz que o caso de Woods foi revisado pelo menos nove vezes nos últimos 15 anos e que as provas mostram que o condenado “participou integralmente do assassinato intencional dos três policiais.”

Woods é o quinto prisioneiro executado nos Estados Unidos em 2020.

Por BBC BRASIL

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here