Secretário-geral do PP afirma que Mayara Pinheiro não tem independência para votar isolada do partido

(Imagem: Reprodução)

O secretário-geral do PP, Walter Sipelli, declarou que a deputada estadual eleita Mayara Pinheiro (PP) criou um “clima muito ruim” para ela dentro do partido ao antecipar seu voto na disputa pela presidência da ALE-AM antes da reunião da sigla para tratar sobre o assunto. Declaração foi dada à jornalista Rosiene Carvalho.

Sipelli afirmou que “não há independência” quando a decisão é partidária e que Mayara deveria ter sido alertada que o mandato é do partido.

“Fica muito ruim para ela. Ela diz no vídeo que ela tem independência, certo? Não tem independência, não. O mandato é do partido. Não é dela”.

A deputada eleita mais bem votada do pleito de 2018, Mayara Pinheiro declarou voto ao deputado estadual Josué Neto (PSD) na disputa pela presidência da Mesa Diretora da ALE-AM, nesta quinta-feira, dia 10.

Ela justificou a declaração de voto em uma conduta de “transparência e independência”.

Mayara é vice-prefeita de Coari e filha do ex-prefeito da cidade, Adail Pinheiro, que foi preso e reponde a processos por corrupção e exploração sexual de crianças, resultado da operação da Polícia Federal Vorax, de 2008.

BLOCO RACHOU

A declaração de voto de Mayara em Josué Neto foi a 14ª a favor de Josué e causou frisson porque o partido dela tem um candidato à presidência: Belarmino Lins (PP).

Um dia antes o secretário-geral do PP, Walter Sipelli, confirmou a declaração do deputado Dermilson Chagas (PP) de que os quatro deputados da sigla votariam em bloco no deputado Belão, como é conhecido Belarmino.Após a circulação do vídeo, a declaração de Mayara também foi ironizada pelo deputado Belarmino Lins.

Por meio de sua assessoria de comunicação, Belão questionou a transparência nos gastos de campanha da deputada eleita.

Leia abaixo a entrevista completa de Walter Sipelli:

Rosiene Carvalho (RC): A Mayara Pinheiro anunciou o voto dela no deputado Josué Neto para a presidência da ALE-AM. O anúncio passou por um entendimento interno com o PP?

Walter Sipelli: A gente pensa é que ainda não foi colocada a posição oficial do partido sobre fechamento de questão. Se houver fechamento de questão, isso é a comissão executiva que vai decidir, aí tem que acompanhar o que foi deliberado e votar em bloco. Entendeu?

RC: O senhor falou para mim que havia um entendimento de que todos deveriam votar juntos e no deputado Belarmino Lins, há dois dias.

Walter Sipelli: Realmente essa é a posição oficial do partido. Por enquanto. Por enquanto. O voto da Mayara está sendo muito endeusado. Se o voto dela for o 12º voto, aí vale todo dinheiro do mundo esse voto dela. Se esse voto, for o 10º, 11º para o PP, não vale nada. Entendeu?

RC: Para o Josué Neto é o 14º…

Walter Sipelli: Não sei. Isso é o Josué dizendo.

RC: Os deputados têm feito vídeos e divulgado.

Walter Sipelli: Não. Olha, se o Josué tem os 14 votos, por quê ele foi no PP atrás dos quatro votos nosso? Foi conversar com o (Francisco) Garcia, foi conversar com a Rebecca (Garcia). Por quê? Só porque ele quer fazer mais quatro e ir para 18? Será? ‘Tá com brincadeira, ‘tá com brincadeira… Prefiro não me pronunciar porque não ouvi as 14 declarações de voto. E declaração de voto também não vale nada. Negócio de CPI, quantos caras assinam e depois tiram a assinatura? Voto é do jeito que quer. O problema é que até o dia de votar pode haver inclusão, exclusão. Tem que aguardar. O processo é dinâmico. Todo dia tem uma novidade, você sabe disso.

RC: Quando será a reunião da bancada do PP?

Walter Sipelli: Não temos ainda a data certa. Quem vai convocar é o presidente. Ele não convocou ainda. Não é com a bancada. É com a comissão executiva. Não é só com os deputados. Os deputados são membros natos do diretório. Eles têm voz e voto.

RC: O clima fica ruim para a deputada Mayara dentro do PP depois de ela se posicionar antes dessa reunião?

Walter Sipelli: Eu acho que fica. Fica muito ruim para ela. Ela diz no vídeo que ela tem independência, certo? Não tem independência, não. O mandato é do partido. Não é dela. Precisaria orientar melhor a deputada. Ela vem de uma família tradicional da política, tinha que aprender mais um pouquinho. Ela não tem essa independência quando se trata de decisão partidária. Agora, ela é nova, né? Tem que aprender ainda. Mas está passando a carroça na frente dos cavalos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here