Na Aleam, bancada governista garante veto ao reajuste salarial de policiais militares

Foto: Reprodução

Em acalorada sessão na manhã desta quarta, dia 4, na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), o governador Amazonino Mendes (PDT) conseguiu vencer e manteve o veto ao reajuste salarial e pagamento de atrasados de policiais e bombeiros militares. Treze deputados votaram com o governo, e 9 queriam a manutenção do projeto.

O projeto de lei que foi votado hoje é o que saiu de mudanças feitas pelos deputados na mensagem governamental enviada por Amazonino ao Legislativo. A questão envolve pagamentos da data-base deste ano dos servidores da segurança pública e de dívida deixada por governos anteriores, desde 2015.

Votaram com o governo os deputados: Adjuto Afonso (PDT), Augusto Ferraz (DEM), Belarmino Lins (PP), Carlos Alberto (PRB), Dermilson Chagas (PP), Dr. Gomes (PRP), Mário Bastos (PSD), Orlando Cidade (PV), Vicente Lopes (PV), Wanderley Dallas (SD), Sinésio Campos (PT), Alessandra Campelo (MDB) e Ricardo Nicolau (PSD).

Pela manutenção das mudanças no projeto governamental votaram os deputados Abdala Fraxe (Podemos), David Almeida (PSB), Francisco Souza (Podemos), Luiz Castro (Rede), Platiny Soares (PSB), Sabá Reis (PR), Serafim Corrêa (PSB), Cabo Maciel (PR) e Sidney Leite (PSD).

Foram ausentes na sessão de hoje os deputados José Ricardo (PT) e Josué Neto (PSD).

Volta à estaca zero e mais do mesmo

Tão logo se encerrou a votação, deputados aliados de David e de Amazonino engataram uma reunião a portas fechadas para discutir o futuro da questão reajuste salarial dos servidores.

A manutenção do veto teria sido feita diante da promessa do governo de enviar ainda hoje uma nova mensagem para apreciação dos deputados.

De acordo com deputados, essa nova proposta, que deve ser igual à primeira enviada por Amazonino em maio, oferecerá 24% de reajuste, incluindo os atrasados, sendo apenas 4% neste ano. Com informações do BNC.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here