Mudança do aeroclube é cobrada novamente por Luiz Castro

O monomotor Embraer EMB-720, de prefixo PT-VKR, caiu hoje (22) em um terreno próximo da Avenida Torquato Tapajós, na Zona Centro-Oeste da capital. O local é próximo do Aeroclube de Manaus e reacendeu a discussão sobre a segurança dos moradores e trabalhadores do entorno. O deputado estadual Luiz Castro (Rede) cobrou novamente do Ministério Público Federal (MPF) um posicionamento sobre a mudança do aeródromo.

O parlamentar lembrou, da tribuna da Assembleia Legislativa (Aleam), que em 2017 foi realizada uma reunião com o MPF, os locatários do aeródromo e representantes dos moradores dos bairros vizinhos. O resultado foi um consenso geral para a transferência do local.

“Naquele momento, discutiu-se a possibilidade de um terreno em Iranduba, porém aconteceu a transição entre governadores do Estado. Os empresários não foram resistentes quanto a alteração do Aeroclube, desde que respeitadas algumas questões, como acessibilidade para os usuários e proximidade com Manaus. Esses dois itens são importantes especialmente para quem vem do interior, à procura de tratamento médico”, assinalou Luiz Castro.

Para os moradores e trabalhadores do entorno do aeródromo, o local pode ser utilizado para desafogar o déficit habitacional de Manaus, criar uma área de lazer ou mesmo uma creche. O parlamentar sugeriu também que a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM) pode mudar-se para o bairro de Flores. A atual sede da pasta não é do governo do Estado.

Um dos locais sugeridos para um novo aeródromo é um terreno em Iranduba, nas proximidades da ‘cidade universitária’ da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Segundo Luiz Castro, o local precisa de investimentos da gestão estadual.

“O entendimento entre as partes – governo federal e do Estado e os proprietários de aeronaves – é perfeitamente possível e que o novo local não vai necessitar de um investimento enorme: a construção de uma boa pista, de infraestrutura de acesso e fornecimento de energia elétrica e água para o futuro aeródromo”, afirmou o parlamentar.

O deputado irá solicitar ao MPF mais celeridade na questão, porque a mudança acontecerá em médio prazo: todo o processo deve ser iniciado o mais rápido possível para que a população faça da área algo mais útil para a comunidade. Ao mesmo tempo, Luiz Castro relembra que as áreas disponíveis em Iranduba podem ser perdidas, por conta da demora burocrática.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here