MP e Câmara de São Gabriel da Cachoeira investigam denúncias de propina contra vereador petista

Vereador Bila do PT pode ser cassado, caso haja confirmação das denúncias contra ele
 Vereador Bila do PT pode ser cassado, caso haja confirmação das denúncias contra ele
Vereador Bila do PT pode ser cassado, caso haja confirmação das denúncias contra ele

Da Redação – O vereador  Olivaldo Sátiro dos Santos, do Partido dos Trabalhadores (PT), e líder do prefeito de São Gabriel da Cachoeira, Rêne Coimbra, está  sendo investigado pelo Ministério Público Estadual  e pela Comissão de Ética da Câmara Municipal local por supostos recebimentos de propina que pode chegar a R$ 600 mil, caso se comprovem as denúncias de comerciantes do município  que teriam pago ao parlamentar elevadas somas em dinheiro e cheques, uma que  o mesmo estaria “negociando” vagas de táxi-lotação em troca  até mesmo de ranchos e outras vantagens quando o mesmo ocupava o cargo de relator de uma CPI que investiga a concessão de licenças para os serviços de táxi-lotação.

Hoje, em Manaus, antes de viajar para Brasília, onde se encontrará com autoridades federais, na próxima semana, o presidente da Câmara Municipal de São Gabriel da Cachoeira, Edinho Gonçalves, (PSL), procurado pelo Blog da  Floresta disse que as denúncias de favorecimento da CPI do Táxi-Lotação são muito graves e estão sendo apuradas com rigor, uma vez que as provas apresentadas pelos denunciantes e já anexadas ao processo junto ao MP são robustas e consistentes.

Edinho Gonçalves informou que a CPI originou-se a partir de uma audiência pública realizada há quase dois anos e que de lá para cá vem se arrastando, com constantes pedidos de adiamento da apresentação do relatório final, o que motivou desconfiança das pessoas interessadas pelo seu andamento, culminando então, com as denúncias contra o vereador acusado, também conhecido como “Bila” do PT.

Anexo ao processo que corre no Ministério Público encontram-se diversas denúncias de oferecimento de propinas e até mesmo cheques ofertados por comerciantes que tinham interesse em adquirir vagas de táxi-lotação. O presidente da Câmara disse que o relatório apresentado por Bila do PT incorre em vícios, principalmente fortalecendo a suspeita de que o vereador acusado transferiria as vagas disponíveis em troca de dinheiro.

Em São Gabriel da Cachoeira, uma vaga de táxi-lotação pode ser comercializada por até 60 mil reais. O Blog da Floresta tentou contato com o presidente da CPI, vereador  Raimundo Lopes de Souza pelo fone 97 9914751.., mas não obteve resposta.  O presidente da Câmara Municipal informou também que todas as provas que podem incriminar o vereador  “Bila do PT” já fazem parte do processo junto ao MP  e qualquer cidadão pode ter acesso, por ser um documento público. Segundo ele são depósitos bancários em nome do acusado, cheques, passagens aéreas e mensagens enviadas via celular. Sobre o afastamento do vereador, Edinho informou que cabe agora à Comissão de Ética da casa dar os encaminhamentos finais que poderão ou não cassar o acusado por recebimento de propina.// (Jânio Moraes)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here