Amazônia

Mourão diz que alta no desmatamento foi falta de integração

Foto: Bruno Batista / VPR

O vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta terça-feira que a falta de integração das Forças Armadas e dos órgãos ambientais explica os últimos dados de desmatamento da Amazônia divulgados pelo Inpe. A declaração foi feita após a sétima reunião do Conselho Nacional da Amazônia Legal.

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais o desmatamento na Amazônia Legal foi de mais de 13 mil e 200 quilômetros quadrados, entre agosto de 2020 e julho de 2021. Aumento de quase 22% em relação ao período anterior. O levantamento foi feito por meio do Prodes, considerado mais preciso para medir as taxas de desmate.

Nesse período, as Forças Armadas atuaram na região por meio de GLO. O vice-presidente apontou falta de integração durante boa parte da atuação e assumiu a responsabilidade por isso. Uma melhora só aconteceu, segundo ele, a partir de agosto, após o período monitorado pelo Prodes.

Mourão disse que as ações de combate ao desmatamento precisam ser permanentes. Para ele é fundamental a contratação de pessoal e a recuperação da capacidade operacional das agências ambientais.

O vice-presidente defendeu o pagamento aos proprietários de terra para que mantenham as áreas preservadas de acordo com a captura de carbono. Citou também a regularização fundiária como outro ponto que precisa ser solucionado.

Mourão defendeu que o país crie um fundo com recursos brasileiros para financiamento de ações para preservação da Amazônia.

*Com informações de Agência Brasil

Deixe um comentário