Morre catador que tentou ajudar músico fuzilado com 80 tiros no Rio

Luciano Macedo foi atingido por balas de fuzil no momento em que tentava ajudar a família de Evaldo Santos Rosa.

O catador Luciano Macedo, de 28 anos, morreu no Hospital Carlos Chagas, no Rio de Janeiro, após 11 dias internado em estado grave. Ele foi baleado ao tentar ajudar o músico Evaldo Rosa, morto após o carro em que estava ser alvejado por 80 tiros, disparados por homens do Exército. As informações são do jornal O Dia.

O catador passou por dois procedimentos médicos: uma traqueostomia e uma cirurgia no pulmão. No entanto, não resistiu e o óbito foi confirmado nessa quarta-feira (17/04/19). Um dia antes da morte de Luciano, a Justiça havia determinado a transferência dele para o Hospital Municipal Doutor Moacyr Rodrigues do Carmo, em Duque de Caxias, mas a ação não foi realizada.

Ele deixou a mulher Diana Horrara, grávida de cinco meses. A família recebe apoio da ONG Rio de Paz e do escritório João Tancredo.

Luciano Macedo ficou gravemente ferido, com complicações pulmonares, após a ação que matou Evaldo dos Santos Rosa. No veículo fuzilado estavam a mulher do músico e o filho do casal, uma criança de 7 anos, que saiu ilesa. Dez dos 12 oficiais que atiraram 80 vezes contra o carro da família foram presos no dia 8 de abril pelo Exército.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here