Mesmo com Forças Armadas, Rocinha tem tiroteio na madrugada

Exército ocupa comunidade da Rocinha para conter guerra entre traficantes, no Rio (Ricardo Moraes/Reuters)
Exército ocupa comunidade da Rocinha para conter guerra entre traficantes, no Rio (Ricardo Moraes/Reuters)

Um novo tiroteio foi ouvido na madrugada deste sábado na comunidade da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro. De acordo com a Assessoria de Comunicação Social do Estado-Maior Conjunto das Operações em Apoio ao Plano Nacional de Segurança Pública, a troca de tiros entre policiais e criminosos aconteceu por volta das 4h30.

Conforme a Polícia Militar, o tiroteio se deu após homens armados dentro de um táxi tentarem romper o bloqueio do cerco estabelecido pelas Forças Armadas nas proximidades da Rua General Olímpio Mourão Filho. A Rocinha é alvo de operações diárias da PM desde o último domingo, quando houve confrontos entre grupos de traficantes rivais pelo controle de pontos de venda de droga da comunidade. Nesta sexta-feira, após intensos tiroteios, a comunidade recebeu reforço de homens do Exército e da Aeronáutica.

Na operação deste sábado, foram presos pela Polícia do Exército os cinco ocupantes do veículo, um Renault Symbol, e apreendidos um fuzil AK47 calibre 7,62mm com numeração raspada e quatro carregadores; uma pistola Glock calibre 9mm com dois carregadores; 86 munições calibre 7,62mm e 18 calibre 9mm; dois equipamentos de rádio transmissores; documentos; cadernos de anotações; além de pequena quantidade de drogas e dinheiro em espécie.

Os suspeitos e o material apreendido foram entregues à 11ª Delegacia de Polícia, na Rocinha.

Ocupação

O primeiro contingente de homens da Forças Armadas que fazem um cerco à Rocinha chegou às 16h10 dessa sexta-feira na comunidade. Cerca de 150 soldados do Exército e da Aeronáutica entraram na parte baixa da favela, junto ao túnel Zuzu Angel. Eles foram acompanhados por policiais militares e alguns grupos se espalharam pelas principais ruas da localidade, no interior da favela.

A missão principal das Forças Armadas é fazer um cerco à Rocinha para apoiar as operações das polícias civil e militar. Na manhã de ontem, houve um tiroteio intenso entre policiais e criminosos, que provocou o fechamento da Autoestrada Lagoa-Barra, que liga o bairro de São Conrado à Gávea. Cinco escolas e três unidades de educação infantil da prefeitura fecharam as portas, deixando quase 2.500 alunos sem aulas.

(com Agência Brasil)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here