Médicos discutem em Brasília se haverá greve geral e por tempo indeterminado

Médicos esperam reunir hoje cerca de mil manifestantes
Médicos esperam reunir hoje cerca de mil manifestantes

A categoria médica faz manifestação nesta terça-feira (30) saindo do Pronto Socorro 28 de Agosto, localizado no bairro Adrianópolis, zona centro-sul, em direção ao Palácio Rio Negro e sede da prefeitura.

Outra greve aconteceu no último dia 23 deste mês na Praça São Sebastião. Nesta quarta-feira (31) a categoria promete se manifestar também saindo da Maternidade Moura Tapajós até a sede do governo.

De acordo com o Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam), a manifestação desta manhã espera reunir cerca de mil pessoas. Estão participando da greve além de médicos, estudantes da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Universidade do Estado do Amazonas  (UEA) e a Universidade particular Nilton Lins.

Alguns médicos foram impedidos de participar da greve, revela Mário Viana
Alguns médicos foram impedidos de participar da greve, revela Mário Viana

O presidente do Simeam, Mário Viana, disse que alguns profissionais estariam sendo impedidos de participar da greve e foi preciso fazer um documento referenciando a lei de greve, mandando para as secretarias e unidades de saúde.

Segundo ele, após a paralisação do dia 23 foi preciso acionar o setor jurídico para a elaboração do documento. “Chegou a notícia de que alguns médicos estavam sendo impedidos e então fizemos o documento, enviamos para as secretarias e unidades de saúde, além de colocar no nosso informativo eletrônico para que os médicos não se sentissem intimidados pelos gestores a não participar da greve. Isso é lamentável porque o país é democrático e o direito da greve é legítimo”, enfatizou.

Paralisação geral – Ainda de acordo com Viana após a greve do último dia 23 não houve a articulação necessária que precisam. “Não tivemos nenhuma articulação depois do dia 23. Ontem, o governador Omar Aziz (PSD) me ligou e disse que vai nos receber possivelmente amanhã (31) na sede estadual ou na Sefaz”, explicou.

A estrutura hospitalar está abandonada na capital e interior, afirma Altair
A estrutura hospitalar está abandonada na capital e interior, afirma Altair

Nos dias 8, 9 e 10 de agosto o Simeam informou que acontecerá um encontro nacional em Brasília de entidades médicas onde será tomada uma decisão de uma paralisação a nível nacional. A greve segundo Mário, se ocorrer, será por tempo indeterminado.

Para Altair Pires, representante da classe de estudantes, a categoria resolveu se mobilizar também pelas manifestações nos dias 30 e 31. De acordo com o estudante existe uma carência de estrutura, de material, de equipamentos, investimentos na saúde em geral. “A estrutura hospitalar está abandonada na capital, imagina no interior. É uma luta por melhorias de atendimento”, frisou.

Médico não tem atenção ou preocupação com o paciente, desabafa Juracilia (centro)
Médicos só passam remédio e nenhuma atenção ao paciente, desabafa Juracília junto a mãe Nazaré

As principais reivindicações são: financiamento da saúde por parte do Governo Federal aos estados e municípios. A categoria reivindica o aumento de investimento que hoje é de 4% da receita corrente bruta a nível nacional.

Segundo Mário Viana, a prefeitura sinalizou que o gabinete municipal estaria planejando uma reunião para esta terça-feira (30) com a categoria médica. Já os secretários de saúde estadual e municipal não se manifestaram de acordo com Viana.

O BLOGdaFLORESTA conversou com a dona de casa, Maria Juracília Souza da Costa, 31, que estava no Hospital 28 de Agosto, onde foi levar a mãe, Maria de Nazaré de Souza Costa, 65, para ser atendida, pois amanheceu com uma forte dor de cabeça segundo a filha.

Juracília reclamou que o médico apenas aplicou uma injeção na mãe e um medicamento para dor de cabeça e a liberou. “Ela está com muita dor de cabeça, acho que deveriam ter realizado um exame para saber detalhadamente o que minha mãe tem. Vamos pra casa e ela continua com dor, se ela continuar assim vamos ter que voltar aqui. O médico fez só aquele papel de passar o remédio mesmo, nada com muita atenção e preocupação com o paciente”, desabafou.///Sara Matos.

1 COMENTÁRIO

  1. Chega ao cúmulo do ridículo essa entrevista que vocês fizeram, uma mulher com dor de cabeça tomou a medicação o que houve de errado nisso? O médico é o médico e não a filha pra decidir se vai passar exame ou não, no mínimo ela queria uma tomografia que custa ao SUS 350 reais, tem muito mais radiação ionizante cancerígena que o Raio X e que não há indicação nenhuma pra esse caso! Exames de sangue, fezes e urina n diagnosticam dor de cabeça, e má enxaqueca, cefaléia tensional, cefaléia em cluster ou mesmo no piti a tomografia e nenhum exame não mostraria absolutamente nada, se liberasse TC só por dor de cabeça o SUS já teria quebrado em 1 ano e meio mundo de pacientes estaria com câncer, sim, eu creio que ele tinha essa preocupação. Quer carinho? Isso é papel dos filhos ou arranje um gato! Quanto ao blog, ou vcs são ignorantes de não conhecer a verdade, ou são preguiçosos pra n estudar a fundo a matéria ou são demagogos a serviço do governo pra ficar tendenciando a opinião pros políticos corruptos

    • O senhor é médico?, foi o senhor que atendeu a senhora?
      as pessoas precisam de carinho em qualquer lugar, não apenas dos filhos ou de um médico, mas por sermos HUMANOS, quem de fato é, sabe atender as pessoas com educação, com presteza e com respeito. Eu mesma já fui vítima do péssimo atendimento médico, pessoas que estão fazendo um serviço péssimo e se acham no direito de menosprezar as pessoas, ignorar o diagnóstico. Se era pra tomar um medicamento, a pessoa não precisa sair de sua casa, compra e toma, mas certamente se ela procurou um hospital de emergência, não se tratava de uma simples dor de cabeça. A questão é que tem “médicos”, por aí, que não querem ter o “trabalho” de examinar o paciente, se quer olham nos olhos do paciente.
      E quanto ao blog, não há nenhum médico aqui para estudar a fundo uma dor de cabeça, ou sobre o valor de uma tomografia. Estamos aqui para informar o péssimo serviço que alguns “profissionais” da saúde dispões a população agora ficam aí querendo reivindicar direitos, reivindiquem, mas tratem os pacientes como seres humanos e não como objetos.

      • Esses médicos são uns cavalos mesmo, quanto mais estudam mais ignorantes ficam, se não tem vocação pra atender as pessoas, cai fora é deem espaço para o profissional que queria exerce a profissão com o mínimo de dignidade, a situação de muitos hospitais são precárias, mas não justifica a falta de edução exercida por alguns médicos e profissionais de saúde. Deveriam se reciclar em relacionamento interpessoal e humano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here