MAUS CAMINHOS: Decisão de Toffoli de investigar Omar Aziz tem repercussão na mídia nacional

A decisão do ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal de tornar o líder do PSD no Senado, Omar Aziz (AM), alvo de inquérito no STF por corrupção passiva, repercutiu ontem (4) na mídia nacional, na revista Época Negócios, O Dia, Estadão, Isto É, no Diário do Grande ABC e outros.

Omar passou a ser investigado a partir de “elementos de prova” encontrados pela Procuradoria-Geral da República na análise de um suposto esquema de desvio de mais de R$ 110 milhões do sistema público de saúde no Amazonas.

A apuração teve origem na Operação Maus Caminhos, da Polícia Federal. Omar disse desconhecer o conteúdo da investigação, mas afirmou estar tranquilo.

 Operação Maus Caminhos

A Operação Maus Caminhos foi deflagrada em 20 de setembro pela Polícia Federal e desarticulou um grupo que possuía contratos firmados com o Governo do Estado para a gestão da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Campos Sales, em Manaus; da Maternidade Enfermeira Celina Villacrez Ruiz, em Tabatinga; e do Centro de Reabilitação em Dependência Química (CRDQ) do Estado do Amazonas, em Rio Preto da Eva. A gestão dessas unidades de saúde era feita pelo Instituto Novos Caminhos. A PF estima que ao menos R$ 112 milhões foram desviados da saúde pública amazonense.

Na ação foi preso o medido e empresário Mouhamad Moustafa de acordo com denúncia do MPF é o líder a organização criminosa que desviou milhões da saúde do estado.

Mouhamad é sócio-administrador da Salvare Serviços Médicos Ltda e da Sociedade Integrada Médica do Amazonas Ltda (Simea), controlando ainda a Total Saúde Serviços Médicos e Enfermagem Ltda, por meio de procuração emitida pela presidente do INC. //Fato Amazônico

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here