Manhã de confusão e agressões na Câmara de Manaus

Na manhã desta segunda-feira, 24, entidades estudantis e grupos de protestantes, que pedem o fim do aumento da passagem de ônibus para R$ 3,80 a partir deste sábado (25)., se reuniram em frente à Câmara Municipal de Manaus (CMM) e protagonizaram uma briga com funcionários do município na entrada da casa parlamentar.

As informações são de que os manifestantes tentaram entrar de forma violenta na Câmara e foram contidos pela Guarda Municipal. Em torno de 300 pessoas estão no pátio da CMM e apenas dois vereadores estão do lado de fora, conversando com os líderes do protesto tentando amenizar a situação. São eles Cícero Custódio, o Sassá da construção civil (PT), e Joana D´arc (PR).

Manifestações contra o aumento da passagem foram registradas desde ontem, quando dois ônibus foram queimados. O primeiro ônibus foi incendiado no terminal da linha 500, no bairro Cidade Nova, Zona Norte. O segundo coletivo foi queimado na Zona Oeste.

Ainda na noite de ontem alguns estudantes e usuários do transporte coletivo da capital amazonense fecharam as principais avenidas da cidade, como a Djalma Batista, Getúlio Vargas e Constantino Nery, nas Zonas Centro-Sul e Sul.

Na Djalma Batista usuários colocaram fogo em pedaços de madeira e em outros objetos no meio da via. Eles impediram o tráfego de veículos no local. Já na Constantino, perto da Escola Estadual Solon de Lucena, um grupo de estudantes fez uma barreira no meio da rua e um ônibus chegou a ser apedrejado.

Com EM TEMPO

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here