Com apoio do Governo, luta olímpica amazonense faz história no brasileiro Cadete e Júnior

LUTA-OLIMPICA-AMAZONAS 03

O esporte amazonense acaba de fazer história no cenário nacional. No último fim de semana, no Rio de Janeiro, a seleção enviada pelo Governo do Amazonas ao Rio de Janeiro conseguiu a incrível marca de 19 medalhas durante a disputa do Campeonato Brasileiro das categorias Cadete e Júnior. No Cadete, foram obtidas 11 medalhas (9 ouros, 1 prata, 1 bronze). No Júnior, o Estado voltou para casa com oito medalhas (2 ouros, 3 pratas, 3 bronzes). Os combates dos lutadores locais foram prestigiados pelo secretário executivo de Estado da Juventude, Desporto e Lazer (SEJEL), Anderson Souza.

O desempenho dos amazonenses impressionou até mesmo os dirigentes máximos da Confederação Brasileira de Lutas Associadas (CBLA). Com uma técnica apurada, os meninos e meninas do Centro de Treinamento de Alto Rendimento (CTARA) conquistaram o título masculino e feminino por equipes.

LUTA-OLIMPICA-AMAZONAS 02

A façanha aconteceu graças ao trabalho de base desenvolvido no Amazonas. Atletas oriundos de projetos sociais e lapidados no CTARA brilharam na competição nacional. Um deles foi Daniel Alves, de 15 anos, que começou no esporte no projeto de jiu-jítsu Nova União Kids/Karina Dias/Alvorada.

No Rio de Janeiro, Daniel Alves venceu três lutas e faturou a inédita medalha de ouro na categoria até 50 kg estilo livre no Brasileiro Cadete. “Treinei muito no CTARA para conquistar esse resultado. Foram lutas tranquilas e não fiquei nervoso”, conta o lutador, que entrou no seleto grupo do alto rendimento há um ano.

LUTA-OLIMPICA-AMAZONAS 01

Aluno da Escola Estadual Dom Milton Corrêa, da Cidade Nova, Zona Norte de Manaus, o lutador Walter Júnior, de 15 anos, também “assombrou” na Cidade Maravilhosa. No Brasileiro Cadete, ele levou a medalha de ouro na categoria até 69 kg do estilo livre ao superar três adversários por 10 a 0. “Essa conquista é resultado de muito trabalho. Nem nos Estados Unidos os atletas treinam em dois períodos como fazemos aqui na Vila Olímpica, que inclusive tem um técnico cubano. Isso só é possível porque hoje temos total apoio do Governo do Estado, que oferece uma ótima estrutura aos atletas do alto rendimento”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here