Luiz Castro cobra a recuperação da AM-174 entre Apuí e Novo Aripuanã

O desabamento de duas pontes da AM-174, no trecho que liga o município de Apuí a Novo Aripuanã, no Sul do Amazonas, paralisou o tráfego, causando prejuízos aos produtores da região, que não tem como transportar a produção, principalmente de carne e de laticínios para Manaus e para outras cidades. A informação foi apresentada neste terça-feira (6) pelo deputado Luiz Castro (Rede), que cobrou uma ação emergencial do Governo do Estado para recuperar as pontes.

Do telão do plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Luiz Castro mostrou as fotos da AM-174 com as pontes danificadas e caminhões tombados, afirmando que encaminhará requerimentos à Secretaria Estadual de Produção (Sepror) e à Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra), solicitando apoio, em caráter de urgência, à Prefeitura de Apuí, para reconstruir as pontes e normalizar o tráfego na estrada.     

O Governo do Estado, segundo Luiz Castro, não realiza nenhuma ação de manutenção na AM-174, apesar de ser uma estrada de grande importância para o escoamento de produtos da agroindústria, especialmente de carne e de queijo, produzidos em Santo Antônio do Matupí, em Manicoré, e em Apuí, que abastecem a capital Manaus.

A situação das estradas naquela região se agrava devido ao período chuvoso, formando atoleiros que dificultam o tráfego entre os municípios de Apuí, Humaitá e Novo Aripuanã.

Recuperação de vicinais

De acordo com o deputado, a Prefeitura de Apuí tem realizado um trabalho significativo, na recuperação de mais de 900 quilômetros de estradas vicinais do município, com recursos próprios. “Mas há muito tempo o Governo não faz a sua parte na execução de obras de manutenção da AM-174”, reclamou Luiz Castro.

O deputado disse ainda que a recuperação das vicinais facilitou o escoamento da produção do município, beneficiando também o transporte dos alunos da zona rural, que hoje dispõem de seis ônibus novos adquiridos pela Prefeitura, no valor de 1,4 milhão, com os recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here