Líder indígena é pré-candidato à prefeitura de Santa Isabel do Rio Negro

Fidelis Baniwa é o representante das 25 etnias indígenas existentes em Santa Isabel do Rio Negro

Na última quinta-feira (23), o líder indígena Luís de Jesus Fidelis Makenuli Baniwa informou ao Blog da Floresta que é pré-candidato a Prefeito do município de Santa Isabel do Rio Negro (distante 846 km da capital) pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), tendo apresentado as suas propostas para melhorar a qualidade de vida das comunidades indígenas do Rio Negro. Com o objetivo de valorizar os indígenas promete uma gestão participativa e acredita que a melhor forma é através da educação. A criação de secretarias de assuntos indígenas será prioridade para trabalhar temas que afetam estas etnias. Nesta caminhada, o pré-candidato Fidelis Baniwa está acompanhado de sua esposa Rose Baré, também liderança indígena.

O município de Santa Isabel do Rio Negro tem 23 mil habitantes (mais de 8 mil eleitores, a maioria jovens) formado por 25 etnias, como os baré, baniwa yanomami, entre outras. Os problemas atuais são falta de saneamento básico, energia elétrica, atenção em saúde, educação, falta de oportunidades para os jovens e mulheres e um enorme Lixão a céu aberto, localizado nas proximidades do rio Negro que banha a cidade.

Desde a década de 90, os políticos que foram eleitos usaram o dinheiro público para se promover e pouco fizeram para melhorar a qualidade de vida da população. Agora esse tipo de político não interessa mais. Vamos investir em nossa cultura, eleger representantes de nossas etnias. Temos que acreditar que podemos contribuir para uma sociedade melhor e mais justa. O trabalho terá a contribuição de muitas mulheres neste desafio disse Fidelis Baniwa.

─ A liderança política nasceu comigo. Quando estudante participava das preocupações das comunidades indígenas. Sempre estive na linha de frente. A liderança foi uma coisa natural em mim. Através da arte apresentamos peças de teatro e vimos mais impacto das nossas mensagens de valorização da nossa cultura ─ afirmou.

Malária e Covid-19 ameaçam os indígenas

Segundo Fidelis, os indígenas estão morrendo no município de Santa Isabel do Rio Negro por conta da malária e da Covid-19, faltando médicos, insumos e medicamentos. “Na saúde vemos o abandono das autoridades e a população esta morrendo pela malária, agora também com a covid 19. Não vemos transparência nos gastos com a saúde por parte dos governos federal e estadual. Muito menos diálogo para resolver as dificuldades”.

Igualdade e oportunidade para todos

Dentre as propostas apresentadas pelo pré-candidato Fidelis Baniwa está uma educação participativa e esclarecedora. “Uma educação que valorize as culturas regionais“, em suas palavras.

As prioridades serão melhorar a qualidade de ensino básico e incentivar a formação de ensino superior. “O dinheiro do Fundeb deve ser melhor aplicado na educação, na escola” afirma

Mais Saúde para todos

Outro ponto a ser destacado é o acompanhamento e incentivo para que os estudantes de medicina retornem e permaneçam nas comunidades, bem como planejar melhor os recursos e investir na medicina tradicional.

Outras propostas referem-se a promoção do setor primário, formação de cooperativas para melhorar a produção local e apoiar os agricultores e os pescadores.

Na área da segurança pretende-se capacitar e melhorar as condições da guarda municipal para o desempenho das funções de fiscalização e combate a violência.

Perfil

Fidelis Baniwa tem 46 anos, nasceu no Igarapé Mabaha, na comunidade indígena Igaiwa, pertencente ao Povo Baniwa, no município de Santa Isabel do Rio Negro (Tapurukuara), interior amazonens. Militante do Movimento Indígena, eleito coordenador da COIPAM – Coordenação das Organizações e Povos Indígenas do Amazonas em 2012 (2012-2016). Na área artística, destaques para atuação na Companhia Vitória Régia de Teatro na peça “ Antes o Mundo Não Existia” (2000), com Direção Nonato Tavares, e na peça a “Maravilhosa Estória do Sapo Tarôbequê” (2005). A peça “O Casamento da Filha de Mapinguari” (2002). Na Televisão, atuou como um dos protagonistas no papel de Joe Caripuna, Minissérie Mad Maria, exibida pela Rede Globo em 2005. No cinema interpretou a personagem Cacique Izarari, no filme Tainá 3 – A Origem (2011), com direção Rosane Swartman, e mais recentemente participou do Filme “Antes o Tempo Não Acabava” (2016), dos diretores amazonense Sérgio Andrade e Fábio Baldo.

Fidelis Baniwa e Rose Baré são lideranças que representam 25 etnias do Rio Negro, povos indígenas diferentes, mas com um sonho em comum: melhores dias e um bom futuro para os seus filhos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here