Laudo confirma morte por asfixia de presos que eram transferidos no Pará

(Foto: Reprodução)

Asfixia causada por estrangulamento foi a causa da morte de quatro detentos que seguiam de Altamira para Belém, a capital do estado do Pará.

Os presos eram transportados em um caminhão-cela.

O laudo foi apresentado pelo Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, que atestou que o veículo seguia as regras para o transporte de presos e que o isolamento não permite escutar o que ocorre dentro do baú do caminhão.

Mas os detentos eram monitorados por um sistema de quatro câmeras, assistidas por quem estava na boleia do caminhão.

Segundo o secretário de Segurança do Estado do Pará, Ualame Machado, os 30 presos, apontados como pertencentes à mesma facção criminosa que liderou o ataque em Altamira, seguiam em quatro celas com algemas plásticas, que os uniam de dois em dois.

Os assassinatos ocorreram em um trecho de estrada não asfaltado. Segundo o secretário, essa condição pode ter provocado falhas na transmissão do sinal monitorado.

O titular da Secretaria de Segurança destacou ainda que todos eles, por meses, conviveram na mesma ala ou na mesma cela.

O delegado-geral da Polícia Civil do Estado, Alberto Teixeira, apontou que nove presos estão diretamente envolvidos nas quatro mortes, pois estavam com as algemas rompidas. Os demais podem responder por omissão, pois tinham como ver o que ocorreu.

Tanto os mortos quanto os suspeitos possuem marcas e arranhões, o que indica luta corporal, e por isso deverão ser feitos exames de DNA para confirmar quem cometeu os crimes.

fonte: agência brasil

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here