Justiça libera provisoriamente vereador preso com propina em Iranduba

'Pepe' deve se apresentar mensalmente à Justiça e justificar suas atividades. Ele havia sido preso em flagrante no dia 19 de novembro, após receber R$ 5 mil em propina

O vereador Pedro Paulo Castro de Almeida (Pros), também conhecido como “Pepe”, de Iranduba (distante 27 km da capital), teve liberdade provisória concedida pelo juiz Túlio de Oliveira Dorinho, da 1ª vara do município, na última terça-feira (3). O político foi preso em flagrante, no dia 19 de novembro, após receber R$ 5 mil em propina.

No despacho, o juiz concede a Pedro Paulo liberdade provisória sem o pagamento de fiança. No entanto, o vereador deve se apresentar mensalmente à Justiça e justificar suas atividades.

O magistrado sustenta a decisão no parecer do Ministério Público (MP-AM), favorável à liberdade provisória. No documento, o MP argumenta não haver motivo suficiente para a manutenção da prisão preventiva, decretada no último dia 21.

Pedro Paulo estava detido no Centro de Detenção Provisória de Manaus 2 (CDPM 2), situado no km 08 da BR-174 (Manaus-Boa Vista).

Entenda o caso

Pedro Paulo Castro de Almeida foi o terceiro vereador preso na Operação Avaritia, deflagrada pelo Ministério Público através do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, do Ministério Público do Amazonas (Gaeco/MPAM) e das promotorias de Justiça de Iranduba.

O dinheiro seria parte de um acordo combinado com o prefeito de Iranduba, em que o pagamento, somando R$ 10 mil, seria debitado em duas parcelas iguais. Francisco Gomes, conhecido como “Chico Doido”, se propôs a auxiliar nas investigações, conforme o MP.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here