José Ricardo cobra explicações sobre venda da Manaus Ambiental

Dep. José Ricardo

Após descobrir pelos meios de comunicação que a empresa Manaus Ambiental, que pertence à Companhia de Saneamento do Norte, foi vendida para a empresa Aegea Saneamento, o deputado José Ricardo (PT) irá apresentar requerimento convocando essa nova empresa, como também o Consórcio Público Proama e a Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Estado do Amazonas (Arsam) para dar explicações sobre a venda desse importante serviço público.

“Uma venda às escondidas, sem qualquer informação repassada à Assembleia Legislativa, apesar desta Casa ter dado anuência aos investimentos no setor, como no caso do Proama (Programa de Abastecimento de Água para Manaus). Que empresa é essa? Qual o seu compromisso com a região? Será que desta vez irá cumprir os planos e metas?”, questionou o parlamentar.

José Ricardo lembrou que a Manaus Ambiental mudou de nome várias vezes, mas em nenhuma dessas mudanças houve investimentos e cumprimento de metas. Em 2010, o Governo Lula liberou 2/3 dos recursos para a construção do Proama, a outra parte foi do Governo do Estado.  Uma obra de R$ 400 milhões. Foi concluído em dezembro de 2010 e entrou em operação no final de 2013. “O Governo Estadual entrou com esses recursos e, até hoje, não sabemos o retorno. O Proama foi entregue de bandeja para outra empresa, a Manaus Ambiental, que não investiu nenhum centavo, que não cumpre meta. E um serviço que a população paga caro, há bem pouco tempo, sem ter água nas torneiras 24h por dia, além do que a qualidade do serviço não acompanha o preço cobrado”.

Pelo contrato de concessão de água, prevê também coleta e tratamento de esgoto.  Nesta área o investimento é zero. O contrato prevê que em 2016 teria que ter 51% do esgoto tratado. Mas está longe de acontecer. Dados da entidade Trata Brasil, que avalia o saneamento nas grandes cidades, coloca Manaus como a 5ª pior cidade em saneamento, entre as 100 maiores cidades brasileiras. “Uma vergonha. E motivo de muitas doenças e gasto público na atenção à população atingida por água contaminada. Acesso à água potável, de qualidade, é um direito humano. Faz parte do direito à segurança alimentar. É um direito social. Mesmo quem não tem renda, tem o direito à água. Água é fundamental à vida, sem água ninguém vive”, frisou o parlamentar. 

Vistoria

Mais de oito mil alunos estão sem aula no Estado, de acordo com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc). Esse dado alarmante foi citado nesta terça-feira (27) pelo deputado José Ricardo, cobrando que as reformas e grandes manutenções nas escolas devem ser planejadas e acontecer durante os recessos e férias escolares, para não prejudicar o ano letivo.

Por isso, ele apresentou nesta terça o Projeto de Lei que determina a realização de vistorias periódicas nas estruturas físicas das escolas da rede pública estadual de ensino. A avaliação deverá ocorrer a cada dois anos, para garantir não apenas a segurança dos prédios, mas dos estudantes e dos profissionais das unidades de ensino. A proposta visa também a economia de recursos públicos, uma vez que, a manutenção preventiva evitará grandes intervenções.       

“A manutenção periódica e programada nas escolas evitará, ou, pelo menos, minimizará as interrupções em pleno período letivo por conta de obras de reforma e ampliação, o que acontece normalmente, prejudicando os estudantes e toda a comunidade escolar. O Amazonas precisa melhorar e priorizar a educação, urgentemente!”, expôs o parlamentar.

De acordo com o projeto, a avaliação será feita por uma comissão multidisciplinar constituída pelo Poder Executivo composta por engenheiro, profissionais da educação, membros do Conselho Estadual de Educação, membros do sindicato da categoria, e poderá ser acompanhada também por cidadãos. A vistoria da comissão incluidesde o sistema elétrico, hidráulico, climatização, equipamentos, muros, quadras esportivas, calhas, telhados, condições de pintura, dentre outras áreas. Essa iniciativa já existe em outros municípios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here