Esportes

Irã condena ao enforcamento atleta da luta olímpica acusado de assassinato

O atleta de luta olímpica, Mehdi Ali Hosseini, matou um homem em 2015, após uma briga. O lutador foi condenado pela justiça iraniana e teve a pena de morte por enforcamento, decretada.

Há quatro meses, outro atleta da modalidade também foi executado pelo mesmo crime.

Mehdi Ali Hosseini, de 29 anos, aguarda o cumprimento da sentença. Familiares de Mehdi afirmaram que a execução é iminente.

De acordo com o jornal espanhol Marca, a família da vítima não concordou com o perdão, que foi solicitado, entre outros, pelo campeão olímpico greco-romano em Londres 2012, Hamid Surian, atual vice-presidente da Federação Iraniana de Luta Livre.

O lutador condenado à morte continuou praticando seu esporte depois de ser preso, chegando a vencer o campeonato nacional para presidiários.

Organizações como a União Nacional pela democracia no Irã e a plataforma de atletas do Global Athlete reivindicaram ao Comitê Olímpico Internacional (COI) e a União Mundial Sanções de luta livre (UWW) para que o Irã seja impedido de competir internacionalmente.

O lutador Navid Afkari foi executado em setembro, após ser condenado por esfaquear um segurança durante protestos antigovernamentais, em 2018.

O COI solicitou, sem sucesso, ao Líder Supremo Iraniano clemência para o atleta.

Ao lado da China, o Irã é o país que mais recorre à pena capital, de acordo com a anistia internacional, o Irã executou 260 pessoas, em 2019. (Globo Esporte)

Deixe um comentário