Iniciada demolições em área de intervenção do Prosamim no Igarapé do 40

Foto: Tiago Correa/UGPE

O Governo do Estado, por meio da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), iniciou, nesta semana, as primeiras demolições em uma área do Igarapé do 40, localizada entre as avenidas Silves e Maués, nos bairros Japiim e Cachoeirinha, zona sul da capital. Essas demolições fazem parte de uma obra de intervenção do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), nesse trecho do Igarapé do 40, que vai reassentar 1.400 famílias que serão retiradas das condições precárias de moradia e saneamento.

A intervenção no trecho Silves-Maués é uma obra complementar do Igarapé do 40. As obras compreendem a intervenção da área com a construção de uma pista interligando a avenida Silves até à avenida Maués, que será uma nova opção de trajeto ligando os bairros daquela região ao Centro através da Manaus Moderna. O projeto contempla recomposição da flora do local, paisagismo, criação de áreas de convívio social, áreas para práticas de esporte, praças, academia ao ar livre, quadras multiuso e a revitalização do campo do Betaião.

O custo dessa intervenção do Prosamim no igarapé do 40 tem o valor estimado em R$ 70 milhões, sendo que parte desses recursos (70%) é oriundo de contrato de empréstimo com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). As obras nesse trecho do Igarapé do 40 estavam pendentes há mais de 10 anos e foram retomadas pela atual gestão. As obras do trecho Silves e Maués são uma das últimas áreas de alagação da parte central de Manaus.

“Ao analisarmos nesses 13 anos de intervenções do programa, observamos que todas as áreas próximas à área central, que sofriam com alagações, riscos de desabamentos e o adensamento populacional nas margens e leitos dos igarapés, foram superadas através das intervenções do Prosamim” afirmou o coordenador executivo da UGPE, Marcellus Campêlo.

Força-tarefa – O Governo do Estado implantou uma força-tarefa envolvendo várias secretarias estaduais com o intuito de dar a maior celeridade possível no cadastro, desapropriação e avaliações dos imóveis que serão retirados da área. Para essa primeira fase das obras de intervenção, estão previstas 201 demolições de imóveis. Todos os moradores foram cadastrados e tiveram seus imóveis avaliados pela equipe técnica da Secretaria Estadual de Habitação (Suhab) para receberem as indenizações e, posteriormente, saírem das suas antigas residências

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here