Governo dos EUA pode parar nesta semana

Donald Trump
Donald Trump

Líderes do Congresso dos Estados Unidos e funcionários da Casa Branca conduziram a nação à beira de uma paralisação das atividades do governo federal que virtualmente todos os envolvidos veem como péssima ideia.

Embora os congressistas pareçam ansiosos para chegar a um acordo antes que o dinheiro do governo termine, na sexta-feira (28), o governo Trump deseja usar o prazo-limite como uma forma de pressão que os democratas —e pelo menos alguns republicanos— não estão dispostos a aceitar, o que gera a perspectiva de uma paralisação nas atividades do governo, algo que antes parecia improvável.

A equipe do presidente Donald Trump está se esforçando por demonstrar progresso quanto às suas mais importantes promessas de campanha, como verbas para construir um muro na fronteira com o México e aumento nos gastos com as Forças Armadas, na esperança de criar uma impressão de sucesso antes do sábado (29), quando Trump completará 100 dias de governo.

Mas qualquer proposta requereria cooperação dos dois partidos, e os democratas não parecem dispostos a ceder.

O impasse está perpetuando uma tendência em Washington, que a esta altura já se tornou tanto banal quanto incompreensível para os veteranos do Congresso: a de recorrer à chantagem, seja por radicalismo, por frustração, ou por uma combinação qualquer desses dois fatores, mas sem que exista um objetivo claro para a manobra.

A última paralisação das atividades do governo aconteceu em 2013, e encapsulou uma era de partidarismo radical e de forte oposição republicana ao presidente Barack Obama. A distinção é que, desta vez, a Casa Branca, o Senado e a Câmara dos Deputados são controlados pelo mesmo partido.

O confronto também surge pouco antes do anúncio de uma proposta de corte de impostos que Trump define como “imensa”, na quarta-feira (26), e depois que ele sugeriu reconduzir ao Congresso uma versão reformulada do projeto de reforma da saúde que foi retirado da Câmara no mês passado.

No Congresso, onde concluir uma tarefa de cada vez já é suficiente para sobrecarregar a capacidade da instituição, os representantes eleitos continuam fortemente céticos quanto à sua capacidade de alternar tarefas com sucesso.

[…] Há uma maneira de escapar, ao menos temporariamente. O Senado volta ao trabalho nesta segunda (24) e a Câmara nesta terça-feira (25), e pode ser que os líderes legislativos se deem um prazo para pensar.

Os congressistas poderiam aprovar uma proposta que estenderia as verbas do governo por algum tempo, talvez mais uma semana, enquanto uma medida de maior duração é negociada.

(Fonte: NEW YORK TIMES)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here