Governo do Amazonas e Prefeituras criam plano de combate e prevenção às queimadas

As previsões indicam um prolongamento do período de estiagem por mais três meses
As previsões indicam um prolongamento do período de estiagem por mais três meses
As previsões indicam um prolongamento do período de estiagem por mais três meses

O Governo do Amazonas vai reforçar as ações de prevenção e combate às queimadas em Manaus e nos municípios afetados pelo fenômeno. Nesta terça-feira, na sede do Governo, no bairro Compensa, zona oeste, o governador José Melo, o prefeito de Manaus, Artur Neto, e representantes das prefeituras dos municípios da Região Metropolitana da capital apresentaram, o plano de ação, que deve contar ainda com a participação das Forças Armadas.

As previsões indicam um prolongamento do período de estiagem por mais três meses, uma situação atípica, segundo o Serviço de Meteorologia do Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam/Sipam), provocado pelo fenômeno El Niño que atravessa o período da seca e deve se estender também na estação chuvosa. Além das Ações Emergenciais de Prevenção e Controle a Queimadas e Incêndios Florestais, anunciado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), o governador José Melo decretou Situação de Emergência em Manaus e em 11 municípios.

A vigência do Decreto será pelo prazo de 90 dias com abrangência sobre os municípios de Manaus, Autazes, Caapiranga, Careiro, Careiro da Várzea, Iranduba, Itacoatiara, Manacapuru, Manaquiri, Novo Airão, Presidente Figueiredo e Rio Preto da Eva. Com exceção de Caapiranga, todos os municípios alcançados pelo decreto estão na Região Metropolitana de Manaus.

“Agora é hora de juntar forças, porque as queimadas estão provocando desequilíbrio econômico uma vez que estão prejudicando toda a atividade econômica, mas o grave problema é em relação às doenças recorrentes – doenças respiratórias, pulmonares, as rinites que estão lotando os hospitais. Precisamos reduzir os focos de incêndio. É hora de lutarmos todos para que possamos ter durante esses três meses uma situação melhor”, afirmou o governador.

De acordo com José Melo, ainda não se sabe o custo exato das ações, mas deve girar em torno de R$ 5 milhões. “Como é uma ação conjunta com os municípios e Prefeitura de Manaus e vou apelar também para a União, quero imaginar que é algo em torno de R$ 5 milhões, sem considerar a estrutura do Estado, que tem um custo que é o Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil, a Secretaria de Saúde, que teve que aumentar o trabalho em torno das doenças recorrentes. Portanto, se somarmos tudo isso, dá um valor bastante substancial”.

O plano de ação inclui a formação de uma Força Tarefa que já vem atuando desde o início do fenômeno e conta com a participação da Sema, do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam),  Corpo de Bombeiros, Defesa Civil do Estado e dos Municípios. Entre as estratégias de prevenção estão a Criação do Centro Integrado de Monitoramento Ambiental com a participação desses órgãos, bem como a implantação da Sala de Situação de Controle e Monitoramento Ambiental, ambos funcionando na sede da Sema. O plano inclui, ainda, a formação de brigadistas e uma resposta maior em relação ao combate aos focos de queimadas.

O prefeito de Manaus, Artur Neto, ressaltou que apesar da cidade não estar entre as que mais contribuem com os as queimadas, a Prefeitura vem fazendo um trabalho forte de prevenção e controle. “Manaus se sente obrigada a entrar nessa luta com a formação de brigadistas. Nosso trabalho, em conjunto com o Corpo de Bombeiros, tem conseguido atender a quase 100% das demandas em relação aos focos de queimadas”, disse Arthur Neto, ao ressaltar que a Prefeitura também vem trabalhando com campanhas educativas.

Dentro do Plano Estratégico, as campanhas deverão ser intensificadas e vão envolver diversas secretarias, entre elas as Secretarias de Educação do Estado (Seduc) e do Município (Semed), bem como a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) com a divulgação de conteúdo informativo e preventivo em relação à queima de lixo doméstico e da vegetação de uma forma geral.

O secretário de Meio Ambiente, Antônio Stroski, apresentou relatório mostrando que houve uma intensificação dos focos de queimadas no Estado entre julho e outubro. Somente entre os dias 1º e 13 de outubro, foram registrados  1.063 ocorrências. Ainda segundo o relatório, dos 15 municípios com maior incidência de queimadas oito estão na Região Metropolitana de Manaus.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here