Governo busca ‘base mínima’ de 200 deputados para frear impeachment

A presidente Dilma tenta reverter a todo custo seu impeachment
A presidente Dilma tenta reverter a todo custo seu impeachment
A presidente Dilma tenta reverter a todo custo seu impeachment

O núcleo palaciano do governo e o PT estão convencidos de que Eduardo Cunha (PMDB-RJ) vai instalar um processo de impeachment contra Dilma Rousseff. Mais: a conclusão do entorno da presidente é que a Lava Jato ainda vai gerar muita instabilidade no Congresso, o que impede que se recomponha a base ampla de antes da crise. Por isso, o plano é construir, a partir desta semana, uma “retaguarda mínima” de 200 deputados fiéis, que impeçam o avanço da tentativa de apear a presidente.

Um ministro cita, entre as dificuldades de recompor a governabilidade, que a toda hora aparece um fato nas investigações que atinge uma liderança estratégica, o que faz o governo voltar várias casas.

O Planalto não enxerga saída da crise no curto prazo. A avaliação é que, enquanto a Lava Jato não entrar na fase de julgamentos, será difícil estabelecer o mínimo de estabilidade política.

Se a ordem é restabelecer a popularidade, Dilma deve começar “em casa”: os ministros convocados para a reunião noturna em pleno Dia dos Pais se queixavam da presidente enquanto deixavam as famílias para embarcar para Brasília. FOLHAPRESS

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here