Gestão inovadora de Manaus é destaque na revista Forbes Brasil

Foto: Alex Pazuello

Os esforços de Manaus para consolidar a economia 4.0, que tem seu principal apoio na implantação do novo polo de tecnologia digital, no Centro Histórico da Cidade, foi destaque na edição 75 da revista Forbes Brasil. “Manaus entra no mapa da inovação digital” diz a publicação, ao destacar o investimento de R$ 19 milhões feitos pela gestão do prefeito Artur Virgílio Neto na restauração do antigo hotel Cassina, que vai sediar o Polo Manaus Digital.

“Estamos trabalhando com muito afinco para dar essa nova perspectiva à cidade de Manaus, o caminho de um futuro que não pode ser ignorado. O mundo está vivendo a sua quarta revolução industrial e Manaus não pode ficar de fora, sob o risco de voltar a ser um porto de lenha”, afirmou o prefeito Arthur Neto, grande defensor de novas matrizes para o polo industrial de Manaus, com foco na tecnologia e na inovação.

O valor dos recursos destinados para incentivo à Pesquisa e Desenvolvimento no novo distrito de tecnologia será de R$ 800 milhões, para sedimentar o polo que tem uma expectativa de abrigar 9 mil empresas.

“Temos vários segmentos de indústria 4.0 que podem ser incentivados a se instalar aqui, como, por exemplo, as indústrias de drones para grandes cargas”, lembrou o prefeito Arthur Neto. “Mas, fundamentalmente, queremos incentivar os nossos jovens talentos a desenvolver novos serviços e produtos com a inovação tecnológica e que eles também estejam aptos a empreender”, completou.

Segundo a matéria da Forbes Brasil, os passos básicos para a implantação do Polo Digital de Manaus já foram efetivados no ano passado, quando se iniciou a restauração do antigo hotel Cassina, com investimentos de R$ 19 milhões, onde será instalado Casarão da Inovação, sede do polo digital.

Parcerias

Em janeiro, a prefeitura assinou um pacote de benefícios fiscais, como incentivo para que as empresas que ali se instalem e desenvolvem tecnologias, produtos e serviços com inovação tecnológica. Também foi assinado o contrato de consultoria com o empresário Cláudio Marinho, principal cabeça gestora da Porto Digital de Recife, que serviu de inspiração para o Polo Digital de Manaus.

De acordo com Marinho, o Polo Digital é o complemento necessário para o futuro do Polo Industrial de Manaus. “Existe uma base instalada fantástica e é necessário que haja uma migração para a indústria digital. Manaus tem uma vantagem importante que é a possibilidade de investimento na indústria digital, a partir da Lei de Informática, que outras capitais não têm. Então, esse fator diferencial tem que ser aproveitado ao máximo”, afirmou.

O Centro de Estudos e Sistemas Avançados de Recife (Cesar), a Associação para a Promoção da Excelência de Software Brasileiro (Softex), o Sídia Instituto de Ciência e Tecnologia, o Instituto de Pesquisa Eldorado e o coworking ValleyUp também integram o consórcio formado para efetivar o Polo Digital de Manaus. A ideia é unir poder público, iniciativa privada, capital e conhecimento para o sucesso do projeto.

“A opção de fazer o polo tecnológico é irreversível e nós temos que trabalhar juntos. Estamos cumprindo as etapas fazendo, inclusive, ajustes na legislação fiscal para incentivar as empresas que contratarem os serviços do Polo Digital de Manaus”, destacou o prefeito de Manaus. “Nós queremos jovens geniais e promissores fazendo bilhões de reais ao longo do tempo e queremos fazer esse contraste no antigo hotel Cassina, que foi um templo do desperdício no período da borracha”, afirmou Virgílio. “Poderíamos fazer em qualquer lugar e teria o mesmo efeito econômico, mas não teria esse toque de regeneração do centro histórico. Estamos querendo trazer para o centro as atividades produtivas, valorizar os imóveis, recuperar sua habitabilidade”, disse.

Incentivos

A Lei 2.565/2019 institui o Programa de Incentivos Fiscais e Extrafiscais (Proinfe), que fomenta e incentiva a criação do Polo Digital de Manaus (PDM) para atração de startups. A nova legislação concede abatimento de 60% do Imposto Sobre Serviço (ISS) incidente, exclusivamente, sobre as atividades específicas das startups, que são empresas recém-criadas ainda em fase de desenvolvimento, que normalmente são de base tecnológica.

O polo também concederá a isenção do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) durante 10 anos às startups ou segmentos empresariais e de serviços de apoio ao PDM, assim como a Taxa de Localização e de Verificação de Funcionamento das mesmas. Serão isentas também as taxas de natureza urbanística, sanitária ou ambiental.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here